Mortes no Brasil podem variar entre 44 mil e 529 mil, dependendo do isolamento, diz estudo
capa

Mortes no Brasil podem variar entre 44 mil e 529 mil, dependendo do isolamento, diz estudo

Manter apenas idosos e grupos de risco em casa elevaria vítima fatais às centenas de milhares

Por
Estadão Conteúdo

Restrições de comércio e locomação podem preservar vidas

publicidade

Pesquisa do Grupo de Resposta à Covid-19 do Imperial College de Londres, divulgada na semana passada, estima que poderão morrer 44 mil pessoas no Brasil por causa do novo coronavírus, desde que observadas medidas de isolamento social. Conforme o estudo, se for adotada a estratégia de isolamento social que só mantenha idosos em casa, como já sugeriu o presidente Jair Bolsonaro, poderia levar à morte mais de 529 mil pessoas.

A taxa é um pouco menor que a metade das vítimas fatais que poderiam ocorrer se nada fosse feito no País para conter a dispersão do novo coronavírus.

A instituição inglesa vem fazendo constantes projeções matemáticas do crescimento da pandemia e avaliações das ações em andamento e a partir de comparações com a providências tomadas em países afetados pelo vírus.