MP 870: Pedido do PSL para votação nominal de emendas faz Centrão pedir obstrução

MP 870: Pedido do PSL para votação nominal de emendas faz Centrão pedir obstrução

Movimento foi articulado por parlamentares do PSL sem comunicar ao líder do governo na Câmara, major Vitor Hugo (PSL-GO)

AE

Partidos de oposição e de Centrão entraram em obstrução contra um pedido de votação nominal em todas as decisões

publicidade

O início da discussão da medida provisória da reestruturação administrativa começou tumultuado. Descumprindo o acordo feito pelos líderes do governo com o chamado Centrão, bloco de partidos liderados pelo PP, PR, DEM, PRB e Solidariedade, a bancada do PSL pediu votação nominal de todos os destaques da MP 870, dos ministérios.

Ontem, líderes acertaram que só quatro pontos teriam destaques, entre eles o que tira o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) do Ministério da Justiça e Segurança Pública e devolve para a Economia.

O movimento foi articulado por parlamentares do PSL sem comunicar ao líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO), que admitiu, em plenário, ao líder do PP, Arthur Lira (AL), que não sabia quem era o autor do requerimento.

Os partidos de oposição e de Centrão entraram em obstrução contra um pedido de votação nominal em todas as decisões. Lira liderou a obstrução dizendo que o Planalto precisa "tomar juízo". Ele criticou o pedido de voto nominal, que é uma manobra de minorias para impedir a votação.

O pedido tem a intenção de revelar os votos dos parlamentares sobre pontos polêmicos como o Coaf. Por causa da obstrução, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), encerrou a sessão e convocou uma nova em seguida.

A nova sessão começou com movimentos de obstrução da oposição, que pediu a leitura da ata e novo painel.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895