Números mostram disputa pela Prefeitura de Porto Alegre

Números mostram disputa pela Prefeitura de Porto Alegre

Instituto Methodus avaliou a intenção de votos em cinco simulações eleitorais para o pleito de outubro de 2020

Correio do Povo

Pesquisa adianta o cenário eleitoral para a disputa da Prefeitura de Porto Alegre

publicidade

Pesquisa realizada pelo Instituto Methodus mostrou a intenção de votos para a Prefeitura de Porto Alegre. Foram quatro simulações eleitorais. Nos três cenários estimulados, Manuela d’Ávila (PCdoB) lidera, com 16,5%, 28,7% e 28,5%. Nelson Marchezan Júnior (PSDB) varia entre o terceiro e quarto lugar, com 7,4%, 8,2% e 8,9%. No primeiro cenário, Maria do Rosário (PT) aparece em segundo lugar, com 10,2%. Nos cenários 1 e 3, Sebastião Melo (MDB) fica com 10%, no primeiro, e 14,4%, no terceiro. 

Na espontânea, aparece em primeiro lugar Sebastião Melo, com 2,7%; seguido pelo atual prefeito, Nelson Marchezan, com 2,5%, e Manuela d’Ávila, com 2,4%. Eles são seguidos por Maria do Rosário (1,7%), Olívio Dutra (1,5%), Fernanda Melchionna (1,1%), Juliana Brizola (0,9%), José Fortunati (0,9%) e Carlos Gomes (0,2%). Dos entrevistados, 74,4% disseram não saber em quem votar e 11,6% votariam em branco ou nulo. 

Outra simulação levou em consideração a rejeição dos possíveis candidatos. Foram questionados sobre em quais “não votaria de jeito nenhum”. Marchezan atingiu 42,9%, seguindo por Maria do Rosário, com 30,1%; Manuela, com 20,8%; Coronel Zucco, com 12,8%; Cezar Schirmer, 11,6%; Gustavo Paim, com 9,9%; Ruy Irigaray, com 9%; Any Ortiz, com 8,9%; Fernanda Melchionna, com 8,6%; Juliana Brizola, com 8,4%; Carlos Gomes, com 8,4%; Sebastião Melo, com 8,1%; e Fábio Ostermann, com 6,4%. 

O levantamento avaliou ainda percepção da população em relação às áreas como desemprego, saúde, segurança, infraestrutura e mobilidade. Os detalhes constam no caderno Perspectiva. A pesquisa foi realizada entre os dias 16 e 21 de dezembro. Foram realizadas 800 entrevistas. A margem de erro de é 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos. 

Levantamento traz avaliações

A pesquisa também fez as avaliações dos governos federal, estadual e de Porto Alegre. A gestão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi apontada por 49,1% dos entrevistados como péssimo ou ruim; 26,9% responderam que consideram a administração como regular. E 24% disseram que o governo é ótimo ou bom. Sobre a aprovação, 61,2% dos entrevistados disseram que reprovam a gestão, enquanto que 38,8%, aprovam. 

O governo de Eduardo Leite (PSDB) é considerado péssimo ou ruim por 66,2% dos entrevistados. Para 28,2%, a administração é considerada regular. A pesquisa mostrou que 5,6% disseram que o primeiro ano do governo é ótimo ou bom. Ao serem questionados sobre a aprovação do governo, 81,5% disseram que reprovam, enquanto que 18,5%, manifestaram aprovação. 

A gestão do prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior (PSDB), foi considerada péssima ou ruim por 66,1% dos entrevistados. Para 22,4%, a administração é regular, e, para 11,5%, é ótima ou boa. Sobre a aprovação do governo, 77,7% responderam que reprovam, contra 22,3% que aprovam.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895