No Chile, Leite e Fiergs tentam buscar negócios para o RS
capa

No Chile, Leite e Fiergs tentam buscar negócios para o RS

Governador cumpre agenda de dois dias no país a partir desta terça-feira

Por
Lucas Rivas / Rádio Guaíba

Governador Eduardo Leite tentará buscar negócios para o RS no Chile

publicidade

Acompanhado de empresários e secretários de Estado, o governador Eduardo Leite inicia, nesta segunda-feira, um roteiro de reuniões e agendas projetando ampliar as oportunidades de negócios entre o Rio Grande do Sul e o Chile. A primeira agenda ocorre em Santiago, capital chilena, onde Leite ao lado do presidente da Federação das Indústrias do Estado (Fiergs), Gilberto Petry, participará do seminário “Oportunidades de Negócios RS-Chile”, que visa ampliar o intercâmbio comercial entre as indústrias das duas regiões. “Temos uma posição estratégica no Mercosul e muitas possibilidades a serem exploradas com países vizinhos, como o Chile”, adianta Eduardo Leite.

Ao longo do dia, o governador também estará reunido com representantes da empresa Ultramar, com atuação no setor portuário, e CMPC, do segmento florestal. Os modelos de PPPs e concessões realizadas no país serão estudadas pelo chefe do Executivo gaúcho. Leite retornará para o Estado na quarta-feira. Já a comitiva liderada pela Fiergs, composta por mais de 40 integrantes, vai permanecer em solo andino até sexta. Os encontros bilaterais ainda contam com a parceria da Sociedade de Fomento Fabril do Chile (Sofofa) e da Embaixada do Brasil no Chile.

Em 2018, as exportações gaúchas para o Chile alcançaram US$ 489,7 milhões, o maior valor dos últimos 10 anos. Porém, como o mercado chileno é o quarto maior parceiro comercial do RS, Gilberto Petry, reforça que os laços entre o Rio Grande do Sul e o país sul-americano devem ser potencializados. “O objetivo principal é fazer com as industrias gaúchas exportem mais para o Chile, pois o mercado chileno vem realizando muitos negócios com a Europa, Japão e demais países da Ásia”, pontua. Além de equipamentos agrícolas e de transporte, a linha produtiva de caldeiras também pode ganhar novo fôlego com as transações realizadas com o mercado chileno.

Os negócios devem ser ampliados, especialmente, a partir do Acordo Amplo de Livre Comércio (ALC), assinado com o Brasil em novembro do ano passado. A parceria deve dar maior impulso aos investimentos e às trocas de produtos entre ambos os países.

No Chile, a equipe de secretários de Estado também conta com a presença dos titulares das pastas de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Ruy Irigaray, e de Logística e Transportes, Juvir Costella, além dos secretários extraordinários de Parcerias, Bruno Vanuzzi, e de Relações Federativas e Internacionais, Ana Amélia Lemos, além do superintendente dos Portos do Rio Grande, Fernando Estima.