No Uruguai, Leite analisa possibilidades portuárias para reduzir custos logísticos do RS
capa

No Uruguai, Leite analisa possibilidades portuárias para reduzir custos logísticos do RS

Governador quer estabelecer travessia de cabotagem internacional em Porto Alegre até o final do ano

Por
Mauren Xavier

Governador busca aproximação para viabilizar trajetos do Uruguai a cidades gaúchas com transporte de carga

publicidade

No primeiro dia de viagem oficial ao Uruguai, o governador Eduardo Leite participou de encontros para ampliar a articulação com o país vizinho, especialmente no que refere-se à logística. O primeiro encontro foi com o presidente da Associação Nacional de Portos, Alberto Dias, em que foram discutidas possibilidades na área de infraestrutura e do funcionamento das estruturas no país vizinho.  

 

Entre os projetos que estão nos planos do governo do Estado, está o estabelecer a travessia de cabotagem internacional (navegação de carga envolvendo portos dois ou mais países) no Porto de Porto Alegre até o final do ano. Segundo o superintendente de Portos, Fernando Estima, o governo oferecerá as condições para viabilizar as operações. Atualmente, esse tipo de operação é feita pelo porto de Rio Grande.  A previsão é tentar ter uma navegação entre Uruguai e Rio Grande do Sul, passando por Rio Grande e chegando a Porto Alegre. 

O governador avalia que ampliar as operações das hidrovias é um caminho fundamental para reduzir os custos de logística do Estado, frequente crítica de empresários. Ainda neste sentido,  ele conheceu, na tarde desta terça-feira, uma embarcação da empresa ISL, no Porto de Montevidéu. Pelas suas características, a embarcação pode chegar a portos que tenham acessos de pouca profundidade, como é o caso do porto de Capital. Além disso, permite o embarque de veículos, como caminhões 'cegonhas', no caso de transporte de veículos. 

Um exemplo de potencial beneficiário está a empresa Toyota, que tem uma unidade em Guaíba e, atualmente, distribui a sua frota totalmente por vias terrestres. Assim, poderá ampliar a distribuição no Mercosul, cita o superintendente. Mas o benefício pode ser no outro sentido também. Presente na visita ao porto, o diretor de operações industriais da Kia, João Pessoa do Nascimento Júnior, ressaltou que parte dos veículos produzidos são comercializados para o Brasil. E desse total, 70% são para as regiões Sul e Sudeste. Porém, atualmente, os automóveis são levados até o porto de Vitória (Espírito Santo), onde depois são distribuídos por vias terrestres. A possibilidade parada em Porto Alegre pode ser interessante para a empresa.  

Ainda no Uruguai, o governador encontrou-se com o diretor nacional de logística do Ministério dos Transportes e Obras Públicas do Uruguai, Plablo Genta, em que foram discutidos projetos entre os dois países, como potencializar hidrovias e as operações do aeroporto de Rivera.  No final do dia, ainda conheceu o projeto de governo digital, na Agência de Governo Eletrônico e Sociedade da Informação do Uruguai (Agesic). Segundo o secretário Cláudio Gastal, a ideia é articular que uma equipe do governo faça uma imersão nos sistemas desenvolvidos no Uruguai. 

A agenda segue nesta quarta-feira, com encontros na Associação de Marketing do Uruguai, com a presidência do país e com o Banco de Desenvolvimento da América Latina, além de encontro com o chanceler do país, Rodolfo Nin Novoa.