Nova reforma tributária prevê apenas duas alíquotas de ICMS de 17% e 25% a partir de 2021

Nova reforma tributária prevê apenas duas alíquotas de ICMS de 17% e 25% a partir de 2021

Setores sensíveis como o gás serão impactos e podem gerar resistência para aprovação de pacote na Assembleia

Lucas Rivas / Rádio Guaíba

Nova reforma tributária prevê apenas duas alíquotas de ICMS de 17% e 25% a partir de 2021

publicidade

A reforma tributária que será detalhada pelo governo estadual, nesta quinta-feira, contará com apenas duas alíquotas de ICMS – 17% e 25%. Os novos índices vão entrar em vigor em 2021. Setores sensíveis que estão abaixo de 17% serão impactos como o gás, que, hoje, paga 12% de ICMS. Além dele, os segmentos de vinhos e cachaça, que são taxados em 18% passarão para 25%.

O setor de refrigerante também saltará de 20% para 25%. A economia fiscal prevista com a revisão tributária ainda não foi divulgada pelo Palácio Piratini. Ao elevar os impostos destes segmentos, deputados da própria base governista podem resistir em validar o pacote, que será protocolado, em regime de urgência, na Assembleia Legislativa.

O Piratini já assegurou que mesmo não renovando a majoração do ICMS, que resulta no ingresso de quase R$ 2,8 bilhões por ano, ajustes amplos na matriz tributária devem resultar em ganhos para o Tesouro estadual. Até o fim de 2020, seguem vigentes as alíquotas de 30% para energia, comunicações, gasolina e álcool. Em janeiro, o índice cai para 25%, a níveis anteriores a 2015.

Nesta semana, Marco Aurelio garantiu que a reforma tributária formatada pelo governo estadual vai trazer maior competitividade econômica e justiça social. O Executivo prevê ainda rever a taxação de grandes fortunas. O pacote será composto por vários projetos, mas o número total ainda não foi definido. Como alguns textos dependem da chamada noventena (três meses de antecipação) para vigorar, eles devem ser aprovados até 30 de setembro.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895