Novo ministro do Turismo apela para que governantes não decretem lockdown devido a Covid-19

Novo ministro do Turismo apela para que governantes não decretem lockdown devido a Covid-19

Gilson Machado afirmou que os empresários do setor têm mais medo no fechamento total das atividades do que da própria doença

Agência Brasil

Novo ministro do Turismo, Gilson Machado, fez um apelo para que governantes não decretem lockdown das atividades, em razão da pandemia de Covid-19

publicidade

O novo ministro do Turismo, Gilson Machado, fez um apelo nesta quinta-feira para que governadores e prefeitos não decretem lockdown (fechamento total) das atividades, em razão da pandemia de Covid-19. “O trade (atividades do setor do turismo) não aguenta a decretação de um segundo lockdown. O empresário do turismo, que gera emprego e renda, hoje tem mais medo de um decreto que da própria doença. Então, isso é um apelo que eu faço nesse momento”, disse, durante sua cerimônia de posse, no Palácio do Planalto.

Machado citou o caso do município de Búzios, no Rio de Janeiro, onde a Justiça determinou o fechamento de hotéis e praias devido ao aumento de casos de Covid-19. O Brasil já ultrapassou 7 milhões de infectados pelo novo coronavírus.

De acordo com o último boletim divulgado na quarta-feira pelo Ministério da Saúde (MS), nas 24 horas anteriores, foram registradas 70.574 novas infecções por Covid-19. O número de infecções supera muito o do boletim divulgado na terça-feira, quando foram registradas 42,8 mil pessoas infectadas.

Por outro lado, segundo Machado, já o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, garantiu que não haverá lockdown no estado. Para o ministro, o Brasil já vê uma recuperação econômica no turismo, já que, os turistas brasileiros que antes viajavam para o exterior, hoje estão viajando dentro do Brasil.

“E quem fala isso são os números, somos hoje o país da América Latina que tem o maior potencial de crescimento e a melhor velocidade de retomada de crescimento e o turismo, para isso, tem um papel importantíssimo”, disse.

Segundo Machado, as companhias aéreas já registram recuperação de 400% da malha aérea e, comparado ao ano passado, 80% das rotas já foram reativadas devido ao turismo interno. “Em Recife, por exemplo, o aeroporto já demonstra movimento maior do que de 2019 e as taxas de ocupação de pousadas e hotéis estão subindo a cada mês”, comemorou.

O presidente Jair Bolsonaro deu posse a Machado para o lugar de Marcelo Álvaro Antônio, que foi exonerado do cargo no último dia 10 de dezembro. Antônio vai reassumir o mandato de deputado federal, no Congresso Nacional, do qual se licenciou para assumir a pasta do Turismo, em 2019.

Bolsonaro agradeceu o empenho do ex-ministro e disse que ele “marcou a história do turismo brasileiro”. “Ele deu tudo de si, passou um momento difícil no corrente ano com a pandemia, onde o primeiro setor atingido foi do turismo. Os fluxos internacionais praticamente deixaram de existir e os fluxos internos também foram reduzidos bastante. E o reflexo estava na rede hoteleira”, destacou o presidente.

Já Gilson Machado deixa o comando da Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur), cujo cargo de diretor-presidente passa a ser ocupado por Carlos Alberto Gomes de Brito.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895