"Olavo de Carvalho não deve ser levado em conta pelo que fala", diz general Villas Bôas

"Olavo de Carvalho não deve ser levado em conta pelo que fala", diz general Villas Bôas

Assessor especial do Gabinete de Segurança Institucional lamentou que uma pessoa culta "se desqualifique pela maneira como se expressa"

Por
AE

Villas Bôas foi o Comandante do Exército Brasileiro de 5 de fevereiro de 2015 até 11 de janeiro de 2019


publicidade

O General Eduardo Villas Bôas, assessor especial do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) do Planalto, se juntou a outros militares do governo para criticar o escritor Olavo de Carvalho, que tem protagonizado embates com membros do governo. "Acho extremamente lamentável uma pessoa inteligente e culta que se desqualifica pela maneira como se expressa. A partir daí ele não deve ser levado em consideração", declarou Villas Bôas, após participar de sessão em homenagem ao Dia do Exército na Câmara.


O assessor, que é ex-comandante do Exército, citou que já foi alvo de críticas de "baixo calão" por parte de Olavo. Em 2015, o "guru" foi banido da página do Exército Brasileiro, no Facebook, após publicar ofensas e xingamentos ao general, que estava no comando geral do Exército. Na publicação, ele chamou o militar de “canalha”, “traidor nojento” e “inimigo do Brasil”. Os moderadores advertiram que acusações sem provas podem levar os fatos à esfera jurídica e anunciaram a exclusão do perfil dele na rede social do Exército.