Para Doria, Covas continuará sendo "um eterno exemplo"

Para Doria, Covas continuará sendo "um eterno exemplo"

Governador de São Paulo relembrou a carreira política do prefeito paulista, destacando sua coragem e lealdade

AE

Doria fez homenagem a Bruno Covas, em mensagem no Twitter

publicidade

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB) lamentou a morte de seu correligionário, o prefeito Bruno Covas. Na manhã deste domingo, Covas faleceu em decorrência de um câncer contra o qual lutava desde 2019. Em nota, o governador relembrou a carreira política do prefeito paulista, destacando sua coragem e lealdade. "Você foi e continuará sendo para todos nós, um eterno exemplo", diz o governador. 

"Obrigado Bruno Covas, por ter compartilhado, com todos nós, tanto carinho e dedicação. À Renata e ao Pedro, seus Pais, Gustavo, seu irmão, e especialmente Tomás, seu filho, meu afeto nesse momento doloroso em que a natureza subverte o curso da vida. São Paulo terá sempre muito orgulho desse filho querido", afirmou em nota. 

Veja Também

Durante dois anos Covas e Doria atuaram juntos na cidade de São Paulo, quando Covas foi vice-prefeito da capital paulista até que o então prefeito João Doria pediu licença do cargo para disputar o governo do Estado, vencendo o pleito no primeiro turno. 

Doria destacou o período em sua mensagem. "Tive o privilégio de acompanhá-lo desde o início da vida pública, ao lado do seu avô Mario Covas. Tive a honra de tê-lo como vice, na prefeitura de São Paulo. E a alegria de ver seus ideais e realizações aprovados nas eleições de 2020" disse. 

Desde a última sexta-feira, o quadro do prefeito, que estava licenciado do cargo, foi considerado irreversível pela equipe médica que o acompanhava. Às 8h20 desta manhã o Hospital Sírio-Libanês confirmou a morte de Covas, que deixa o filho de 15 anos, Tomás Covas Lopes.

Bancada da Câmara

A bancada do PSDB na Câmara dos Deputados também lamentou neste domingo a morte do prefeito licenciado de São Paulo, Bruno Covas (PSDB). Em nota de pesar assinada pelo líder do partido na Câmara, Rodrigo de Castro (MG), a bancada afirma ter recebido a notícia do falecimento com "profundo pesar e consternação".

"Sua partida prematura interrompe uma promissora trajetória e sua gestão à frente da prefeitura o credenciava a desafios maiores", afirmou. O grupo afirma ainda que o PSDB perdeu "um grande companheiro" e o povo paulistano e o Brasil perdem um dos maiores líderes da sua geração. 

"Mais do que o sobrenome do avô Mário, referência para o PSDB e para a política, Bruno trazia muitas das suas qualidades: retidão de caráter, compromisso com a coisa pública, excepcional capacidade de gestão e de articulação e, acima de tudo, um democrata, que nunca abriu mão de seus princípios e do respeito aos adversários, mesmo em meio a eleições acirradas, como a última que disputou", completa.

A bancada registra ainda "solidariedade e carinho" aos familiares do prefeito, especialmente o filho, Tomás, de 15 anos.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895