Plenário do STF decidirá na quarta sobre cerimônia religiosa presencial

Plenário do STF decidirá na quarta sobre cerimônia religiosa presencial

Decisão monocrática do ministro Nunes Marques, de sábado, permite a celebração de cultos e missas com público no país

R7

Decisão monocrática do ministro Nunes Marques, de sábado, permite a celebração de cultos e missas com público no país

publicidade

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, pautou a análise da reabertura de igrejas para cerimônias presenciais para a próxima quarta-feira.  O assunto foi parar no plenário depois que o ministro da Corte, Nunes Marques, decidiu liberar a realização de cultos, missas e outras cerimônias religiosas com a presença do público.

Veja Também

O magistrado atendeu a um pedido da Anajure (Associação Nacional de Juristas Evangélicos) e, como condição, ordenou a aplicação de protocolos sanitários, limitando a presença em cultos e missas a 25% da capacidade do público.

Há uma outra ação na Corte, de autoria do PSD (Partido Social Democrático) e sob a responsabilidade do ministro Gilmar Mendes. Na mesma linha, o processo contesta um decreto do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que proíbe encontros presenciais em templos do estado. Gilmar sinalizou deliberar contrário à medida e, assim, manter templos fechados ao público.

No caso de Gilmar decidir sobre a ação hoje, tanto esta como a da Anajure serão julgadas ao mesmo tempo no plenário da Corte.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895