Polícia Federal prende blogueiro no inquérito dos atos antidemocráticos

Polícia Federal prende blogueiro no inquérito dos atos antidemocráticos

Oswaldo Eustáquio é investigado por integrar suposta organização que visa obter ganhos financeiros com manifestações pela volta da ditadura

AE

Polícia Federal prendeu Oswaldo Eustáquio temendo que ele deixasse o país

publicidade

A Polícia Federal prendeu nesta sexta-feira o blogueiro Oswaldo Eustáquio, investigado no inquérito que apura o financiamento de atos antidemocráticos no país. Ele foi detido em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. A PF viu chances de que ele se dirigisse à fronteira e pudesse deixar o país em direção ao Paraguai.

Eustáquio mantém um blog em que defende medidas e propostas caras ao Planalto, suas publicações são replicadas pelos filhos do presidente nas redes sociais. Em uma de suas lives, um ativista insinuou que o deputado federal Jean Wyllys teria tido contato com o esfaqueador do presidente, Adélio Bispo. Perante a Polícia Federal, o homem não sustentou a versão.

O blogueiro foi detido no mesmo inquérito que levou à prisão a extremista Sara Giromini, solta nesta semana após dez dias de prisão provisória. Ambos são investigados por integrar núcleo de suposta organização criminosa que visa obter ganhos econômicos e políticos com a divulgação e coordenação de atos antidemocráticos no País.

O inquérito sigiloso está nas mãos do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal. Além dele, outras seis pessoas já foram presas durante a investigação a pedido da Procuradoria-Geral da República, incluindo Sara.

Pelas redes sociais, Eustáquio afirmou que o seu “núcleo de jornalismo investigativo” estava na fronteira com o Paraguai para desvendar o “segredo do sucesso” do País no combate ao novo coronavírus, afirmando que seria a abertura do comércio.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895