Prefeito de Nova Iorque chama Bolsonaro de "perigoso"

Prefeito de Nova Iorque chama Bolsonaro de "perigoso"

Bill Blasio citou intenção de "desenvolver" Amazônia como risco para todo planeta

AE

Prefeito diz atuar para que homenagem à Bolsonaro não seja feita em Museu de História Natural

publicidade

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, afirmou na noite de sexta-feira que está atuando para evitar que o Museu Americano de História Natural, situado em Manhattan, cancele o evento de premiação da Câmara Brasileira de Comércio nos Estados Unidos em que o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, será homenageado como "pessoa do ano". O evento está marcado para ocorrer no dia 14 de maio.

Em entrevista na sexta-feira à noite a uma rádio local, de Blasio ainda afirmou que Bolsonaro é uma figura perigosa. "Ele é um ser humano muito perigoso. Eu certamente faço um apelo ao Museu para que ele não seja recebido lá", disse à rádio WNYC. "Se estamos falando de uma instituição financiada com dinheiro público e de alguém que está fazendo algo destrutivo, fico desconfortável com a situação", afirmou.

O prefeito novaiorquino citou como exemplo do "perigo" a intenção de Bolsonaro em "desenvolver" a floresta amazônica, o que poderia, conforme de Blasio, colocar todo o planeta em risco. De Blasio ainda afirmou que Bolsonaro pratica "homofobia" e "racismo evidente".

Após uma onda de comentários negativos, o perfil oficial do Museu afirmou na quinta-feira que estava "profundamente preocupados e que está explorando alternativas". Na sexta-feira, contudo, um porta-voz mudou o tom. "Este é um evento privado que, de maneira nenhuma, reflete a posição do Museu de que é urgente conservar a floresta Amazônica", disse, sem deixar claro o que acontecerá com a cerimônia.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895