Prefeito de São Leopoldo pede mais restrições ao governo do Estado
capa

Prefeito de São Leopoldo pede mais restrições ao governo do Estado

Ary Vanazzi alertou que sistemas de saúde da Região Metropolitana e do Vale do Sinos estão chegando ao colapso

Por
Stephany Sander

Vanazzi alertou para proximidade do colapso do sistema de saúde na Região Metropolitana e no Vale do Sinos


publicidade

O prefeito de São Leopoldo, Ary Vanazzi, encaminhou, nesta tarde de segunda-feira, um ofício ao governador Eduardo Leite pedindo ações mais firmes em relação ao combate à pandemia, especialmente na Região Metropolitana e no Vale do Sinos. Para ele, é necessário unidade regional para reduzir a expansão do contágio do novo coronavírus neste momento. “Tem que ter um acordo regional, porque daí todo mundo se protege”, afirmou. 

Conforme o chefe do Executivo de São Leopoldo, cidades como Canoas e Novo Hamburgo dão sinais do risco de colapso no atendimento de saúde à população. “Estamos diante de um momento crítico e decisivo para o desdobramento do combate à pandemia. O número de casos, em curva muito ascendente no país, agora também cresce de maneira acelerada no Rio Grande do Sul”, afirmou Vanazzi no texto. Ele defendeu normas mais rígidas, sem flexibilizações. “Pressões econômicas compreensíveis, mas que surgem da falta de uma visão abrangente do grave problema, vão destruir qualquer sistema de controle.”

O ofício sugere que somente a habilitações de leitos pelo Ministério da Saúde, neste momento vivido pela região, pode não ser mais suficiente num curto espaço de tempo. Vanazzi destacou ainda que o governo do Estado precisa adotar medidas de proteção da economia, como a disponibilização de linhas de créditos acessíveis através do Banrisul em socorro aos pequenos negócios: “Estamos chegando no limite. É preciso reagir já e com firmeza, defendendo a vida e ao mesmo tempo garantindo a sobrevivência econômica dos setores mais atingidos de nossa economia, como trabalhadores e as pequenas empresas”, finaliza o texto.


“São medidas duras e antipáticas, mas tem que ter certeza nesta hora para proteger a vida da população”, ressaltou Vanazzi, na tarde desta segunda, em entrevista à Rádio Guaíba.