Prefeitura de Porto Alegre assina contrato para financiamento de 540 moradias na Zona Sul

Prefeitura de Porto Alegre assina contrato para financiamento de 540 moradias na Zona Sul

Empreendimentos serão destinadas para famílias que moram às margens do Arroio Cavalhada

Felipe Samuel

publicidade

A Prefeitura de Porto Alegre confirmou, nesta sexta-feira, a construção de 540 moradias para famílias de baixa renda que moram às margens do Arroio Cavalhada, na zona Sul da Capital, nas vilas Icaraí I, Nossa Senhora das Graças e Ângelo Corso. Por meio de videoconferência, representantes do Paço Municipal formalizaram a assinatura do contrato de financiamento com a Caixa Econômica Federal (CEF), que prevê investimentos de R$ 64,7 milhões. O início das obras está previsto para maio de 2021. A entrega dos apartamentos deve ocorrer somente em 2023.

Além da construção dos conjuntos habitacionais Coronel Claudino, que vai ter 160 unidades, e Tamandaré 1 e 2, que vão contar com 160 e 180 unidades, nos bairros Cristal e Camaquã, respectivamente, o Departamento Municipal de Habitação (Demhab) garante que serão investidos R$ 1,5 milhão do total em cursos de educação ambiental, patrimonial e condominial às famílias contempladas com as moradias. O diretor-geral do Demhab, Emerson Corrêa, explicou que a ideia, a partir da assinatura do contrato, é trabalhar no edital e viabilizar a licitação.

Conforme Corrêa, mais do que retirar as famílias em situação de vulnerabilidade social e melhorar as condições sanitárias, o objetivo é contribuir para despoluir o Arroio Cavalhada. A secretária de Planejamento e Gestão, Juliana Castro, afirma que o projeto, que faz parte do Programa Pró-Moradia, vai beneficiar 2.160 pessoas que vivem atualmente em local "sem estrutura básica". Secretário de Desenvolvimento Social e Esporte, Mario Marchesan lembra que o cadastramento das famílias se iniciou em 2007. "Vamos fazer no mais curto espaço de tempo, com boa técnica e respeitando a legislação", observou.

Marchesan reforça que os recursos disponibilizados pela CEF são oriundos do FGTS das contas vinculadas dos trabalhadores.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895