Prefeitura de Porto Alegre volta a parcelar salários dos servidores

Prefeitura de Porto Alegre volta a parcelar salários dos servidores

Leonardo Busatto confirmou que primeira parte da folha de julho será paga dia 31

Franceli Stefani

Secretaria da Fazenda volta a parcelar salários de julho

publicidade

A prefeitura de Porto Alegre voltará a parcelar o salário dos servidores públicos a partir deste mês. A notícia foi dada na tarde desta quinta-feira pelo secretário da Fazenda, Leonardo Busatto. De acordo com ele, o valor total da folha de pagamento é de R$ 140 milhões e cerca de R$ 40 milhões faltarão para o pagamento em dia.

"No dia 31 nós pagaremos cerca de R$ 5 mil para o colaborador, o que contempla cerca de 50% do nosso quadro. As novas parcelas poderão ser efetivadas conforme os recursos ingressarem no caixa", disse. A folha deve ser quitada até 10 de agosto. Ele também antecipou que, pelo segundo ano consecutivo, o 13° salário será novamente fracionado. O cenário, para os próximos meses, causa preocupação. A tendência, conforme Busatto, é de novos parcelamentos e também atrasos salariais.

"A população já sente os impactos da falta de recurso nas ruas. O servidor foi a última coisa a não ser paga", frisou. Ao todo, serão atingidas 31,5 mil matrículas, entre ativos da centralizadas, Departamento Municipal de Habitação (Demhab) Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU), Fundação de Assistência Social e Cidadania (Fasc), inativos e pensionistas da repartição simples, exceto os inativos do Departamento Municipal de Água e Esgotos (DMAE).

Considerada a capital com pior situação financeira do país, ele salientou a necessidade da aprovação das medidas enviadas pelo Executivo à Câmara de Vereadores, para que os números apresentados sejam outros a médio e longo prazo.

"A mudança de data do pagamento salarial, por exemplo, se ela fosse aprovada pagaríamos no quinto dia últil e não teríamos atraso em julho. Não resolveria a situação, mas postergaria essa medida." O titular da pasta destacou que todos os projetos não são de governo, mas sim com o pensamento no cidadão.

Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895