Prefeitura diz que é falso decreto que determina retorno de atividades comerciais em Porto Alegre
capa

Prefeitura diz que é falso decreto que determina retorno de atividades comerciais em Porto Alegre

Locais permanecem fechados, exceto no caso de serviços essenciais

Por
Correio do Povo

Medida oficial estabelece que apenas serviços essenciais permanecem em funcionamento

publicidade

A Prefeitura de Porto Alegre divulgou, nesta quarta-feira, que é falso um documento que determina o retorno das atividades comerciais a partir do dia 13 de abril na Capital. O suposto decreto, segundo o governo, está circulando nas redes sociais e aplicativos de mensagens. Em nota, o Executivo "informa que o texto é falso e não tem embasamento na realidade, tampouco traduz o rigor das medidas que vêm sendo tomadas para conter o coronavírus na cidade". 

O falso texto é atribuído ao Decreto 20.516, publicado pela Prefeitura em 20 de março, que na verdade proíbe, por 30 dias, o funcionamento de padarias restaurantes, bares e lancherias, exceto aqueles que funcionam por tele-entrega, delivery e pague e leve (take away). Estas medidas foram publicadas com tempo determinado, o que não significa que as datas não possam ser revistas levando em conta o momento vivido, que tem se mostrado muito dinâmico. 

A Prefeitura apela aos cidadãos que não compartilhem esse tipo de informação falsa. "Vidas estão em jogo e, para salvá-las, é fundamental que todos tenham a oportunidade de saber a verdade dos fatos", apontou. Assim, as atividades comerciais de Porto Alegre seguem suspensas, exceto no caso de serviços essenciais.