Prisão de Temer é "despropósito", afirma MDB

Prisão de Temer é "despropósito", afirma MDB

Partido espera que excessos sejam contidos e diz acreditar na Justiça brasileira

AE

Ex-presidente se entregou nessa quinta e passou a primeira noite preso

publicidade

O Movimento Democrático Brasileiro, partido de Michel Temer, se pronunciou sobre a nova prisão do ex-presidente, que se entregou na superintendência da Polícia Federal em São Paulo nesta quinta-feira. Para o MDB, a detenção de Temer, "sob argumento de que ele representa um perigo à ordem pública", é um "despropósito". 

Em nota publicada no site do partido, o MDB diz ainda que "continua acreditando na Justiça brasileira e espera que os excessos sejam contidos e que a verdade prevaleça no andamento das investigações". O partido já foi presidido por Temer em três ocasiões: entre setembro de 2001 e março de 2009, quando era deputado; entre janeiro e junho de 2010, também quando fazia parte da Câmara Federal; e entre janeiro de 2014 e abril de 2016, quando Temer era vice-presidente da República. Atualmente, o líder nacional do MDB é o ex-senador Romero Jucá. 

Na tarde dessa quinta-feira, o ex-presidente e o coronel João Baptista Lima Filho se entregaram na superintendência da Polícia Federal em São Paulo, para o cumprimento da prisão preventiva no âmbito da Operação Descontaminação, braço da Lava Jato no Rio. A defesa do ex-presidente apresentou, também na tarde desta quinta, um pedido de habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça. O processo foi encaminhado para o ministro Antonio Saldanha, que deve avaliar o pedido de Temer na próxima terça-feira, 14. A liminar que havia suspendido a prisão preventiva de Temer e Lima foi revogada na terça, 8, pela 1ª da turma de desembargadores do TRF-2 no Rio. 

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895