Queiroga nega que o Brasil tenha relação ruim com a Argentina

Queiroga nega que o Brasil tenha relação ruim com a Argentina

Após o governo recusar ajuda argentina na Bahia, ministro disse que as relações com país vizinho são "as melhores possíveis"

R7

Ministro salientou relações com contraparte argentina

publicidade

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, evitou comentar, na noite desta quinta-feira, a recusa do governo federal da ajuda humanitária oferecida pela Argentina para a crise na Bahia. O governo argentino ofereceu ao Brasil dez homens da organização humanitária especializada em desastres, Comissão dos Capacetes Brancos. Queiroga afirmou que as relações com o país vizinho são “as melhores possíveis”.

“Essa questão de Relações Exteriores é com meu vizinho aqui, o ministro Carlos França, que aliás é um competente ministro. E o Brasil sempre tem uma relação excelente. Eu particularmente tenho uma relação muito boa com a ministra da saúde argentina Carla Vizzotti. Estive na semana passada com ela, nós colaboramos com informações em relação à pandemia da Covid-19. As relações com a Argentina são as melhores possíveis”, disse Queiroga na saída do ministério nesta quinta.

O presidente Jair Bolsonaro (PL), que está de férias em Santa Catarina, fez uma postagem no Twitter afirmando que a oferta dos argentinos foi “fraterna”, mas que as Forças Armadas e a Defesa Civil já fazem o trabalho ofertado pelos Capacetes Brancos. Uma nota divulgada pelo Ministério das Relações Exteriores e Comércio Internacional da Argentina, porém, diverge da informação postada por Bolsonaro.

Queiroga também comemorou a entrega de 6.500 novos leitos permanentes de UTI no Brasil e destacou a liberação de verbas para minimizar os estragos das enchentes no sul e no extremo sul da Bahia.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895