Renan Calheiros quer convocação de ex-cunhada de Bolsonaro à CPI da Covid

Renan Calheiros quer convocação de ex-cunhada de Bolsonaro à CPI da Covid

Objetivo da oitiva é explicar se houve "espelhamento" do esquema das "rachadinhas" no governo federal

AE

Calheiros anunciou que irá pedir a convocação da ex-cunhada de Bolsonaro

publicidade

O relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, senador Renan Calheiros (MDB-AL), anunciou que irá pedir a convocação da ex-cunhada do presidente Jair Bolsonaro Andrea Siqueira Valle para depor à comissão. O objetivo da oitiva, segundo ele, é explicar se houve "espelhamento" do esquema das "rachadinhas" no governo federal, que teria o envolvimento direto do presidente, conforme divulgado pelo UOL nesta terça-feira.

Em anúncio feito pelo Twitter, Renan classifica como "fundamental" a convocação de Andrea. Segundo ele, "como se sabe, Carlos Bolsonaro é peça fundamental no ministério paralelo e Flávio Bolsonaro um influente filtro de indicações".

Apesar do pedido de convocação, o senador pondera que a intenção da oitiva da ex-cunhada não é incriminar, mas esclarecer fatos e detalhar citações de militares feitas por ela. "São muitos os indícios e testemunhos da participação de militares em irregularidades com as vacinas Covaxin e Astrazeneca", finalizou o relator da CPI.

As denúncias publicadas nesta manhã pelo UOL trazem gravações que apontam o envolvimento direto de Bolsonaro no esquema ilegal de entrega de salários de assessores na época em que ele exerceu seguidos mandatos de deputado federal, entre os anos de 1991 e 2018. O conteúdo indica que o agora chefe do Executivo participava diretamente da "rachadinha".

A ex-cunhada do presidente também aponta que um coronel da reserva do Exército, ex-colega do presidente na Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), atuou no recolhimento de salários da ex-cunhada de Bolsonaro, no período em que ela constava como assessora do antigo gabinete de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895