Representante de empresa que denunciou propina na Covaxin deve depor sexta na CPI

Representante de empresa que denunciou propina na Covaxin deve depor sexta na CPI

Reportagem da Folha de São Paulo apontou que governo Bolsonaro pediu adicional de US$ 1 por dose

Correio do Povo

CPI pretende ouvir depoimento na sexta-feira

publicidade

O presidente da CPI da  Pandemia da Covid-19, senador Omar Aziz, afirmou que a Comissão irá convocar na sexta-feira o representante da empresa  que denunciou propina em doses de vacina da Covid-19. Luiz Paulo Dominguetti Pereira afirmou, para a Folha de São Paulo, que representante do governo Bolsonaro pediu propina de US$ 1 dólar por dose. 

A informação sobre o depoimento foi confirmada pelo senador Omar Aziz, em sua rede social, na noite desta terça-feira, após a publicação da matéria. De acordo com o senador, trata-se de uma "denúncia forte" que será apurada.

Na noite desta terça-feira, a Folha de São Paulo diz que Dominguetti, representante da empresa Davati Medical Supply, afirmou que o diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Ferreira Dias, cobrou propina pelas vacinas. O fato teria ocorrido em um jantar no restaurante Vasto, no Brasília Shopping, na região central da capital Federal, em 25 de fevereiro. 

Na ocasião, o Brasil já somava 250 mil mortes pela pandemia de Covid-19. Dias foi indicado ao cargo pelo líder do governo Bolsonaro na Câmara, Ricardo Barros. A nomeação ocorreu ainda em 2019, na gestão de Luiz Henrique Mandetta.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895