Rodrigo Garcia fica no PSDB e concorrerá ao governo de São Paulo

Rodrigo Garcia fica no PSDB e concorrerá ao governo de São Paulo

Vice-governador cogitou deixar o partido após Doria anunciar que desistiria de disputar a Presidência da República

R7

Ao longo do dia, Garcia ameaçou sair da gestão de Doria e se desfiliar do PSDB

publicidade

O vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), desistiu de sair do partido e será o candidato da legenda nas eleições para o governo estadual. O anúncio foi feito nesta quinta-feira durante cerimônia no Palácio dos Bandeirantes, na qual o governador João Doria renunciou ao cargo para concorrer à Presidência da República.

Ao longo do dia, Garcia ameaçou sair da gestão de Doria e se desfiliar do PSDB em meio à possibilidade de o governador perder o posto de pré-candidato do PSDB ao Palácio do Planalto, o que o faria permanecer no cargo para tentar a reeleição. No entanto, Doria decidiu que vai ser candidato ao Executivo nacional, abrindo espaço para que Garcia concorresse ao governo paulista.

"Chegamos ao final de um ciclo, mas ninguém está aqui para te dizer adeus, e sim para dizer até breve. Porque sabemos da importância para o Brasil daquilo que você fez em São Paulo e fará no restante do Brasil. Quero te desejar força, foco e fé. O Brasil merece João Doria", disse o vice-governador durante a cerimônia.

Garcia ressaltou que Doria fez um excelente trabalho à frente do estado, em especial no combate à pandemia da Covid-19. "Todos nós procuramos trabalhar por São Paulo, resolver problemas de São Paulo. Podemos nos orgulhar de olhar para trás e dizer que fizemos a coisa certa."

Doria elogiou o vice, e disse que, durante o seu mandato, São Paulo foi comandada por dois governadores. "Gratidão é aquilo que eu sinto por você. Amigo, colega, parceiro, leal e dedicado. [Tivemos] um raro caso onde um governador delega força, poder e autonomia para o seu vice. E fiz isso consciente da responsabilidade e da capacidade do Rodrigo, que cumpriu o papel de um governo que administrou a função pública com a mesma postura de uma empresa privada."

Veja Também


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895