Sem apresentar provas, Bolsonaro volta a falar em fraude nas eleições de 2018

Sem apresentar provas, Bolsonaro volta a falar em fraude nas eleições de 2018

Em evento em Anápolis, presidente disse ter materiais que confirmam a acusação

R7

Afirmação foi feita durante culto ecumênico na cidade de Anápolis (GO)

publicidade

O presidente da República, Jair Bolsonaro, voltou a falar, na tarde desta quarta-feira, que houve fraude nas eleições de 2018, em que foi eleito no primeiro turno. Novamente sem apresentar provas, o chefe do Executivo alegou que o sistema eleitoral o jogou para o segundo turno e que tem como provar a afirmação, mas não disse como. 

"Fui eleito no primeiro turno, tenho provas materiais, mas o sistema me jogou para o segundo turno, fraude que existiu sim. Acabei ganhando porque tive muitos votos. Você pega o sistema com muitos problemas, como máquina emperrada", afirmou Bolsonaro, que estava acompanhando dos ministros da Eduação, Milton Ribeiro, e da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, além do deputado federal Major Vítor Hugo (PSL/GO).

Nesta quarta-feira, em audiência na comissão geral da Câmara dos Deputados para debate sobre reforma eleitoral e voto impresso, o presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ministro Luís Roberto Barroso, defendeu as urnas eletrônicas e afirmou que a ideia de se implantar um modelo híbrido na apuração, a partir das eleições de 2022, trata-se de um "retrocesso".

Bolsonaro nunca apresentou qualquer tipo de evidências sobre suposta fraude, mesmo tendo sido instado por ministros do TSE.

O presidente tem defendido a adoção do voto eletrônico com a impressão de cédula para as eleições de 2022, da qual deverá concorrer à reeleição, a fim de evitar fraudes. Especialistas, entretanto, dizem não ser necessário diante da confiabilidade da do sistema de votação brasileiro, que adota urnas eletrônicas há mais de 20 anos.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895