Sem quórum, votação de pacote de mobilidade proposto por Marchezan é cancelada na Câmara

Sem quórum, votação de pacote de mobilidade proposto por Marchezan é cancelada na Câmara

Até o final de tarde, após uma nova reunião, será definido o destino da votação das proposições

Correio do Povo

Pacote foi enviado no começo da semana

publicidade

O Presidente da Câmara Municipal de Porto Alegre, Reginaldo Pujol, cancelou a sessão extraordinária prevista para as 15h, na qual ocorreria a votação do pacote da Prefeitura, batizado de Transporte Cidadão e apresentado no início da semana. Para a votação ter início, porém, era preciso um requerimento com 18 assinaturas solicitando a realização da mesma. Como isso não ocorreu, as atividades foram suspensa por ora. Até o final de tarde, após uma nova reunião, será definido o destino da votação das proposições.

O pacote promete reduzir, caso seja aprovado pela Câmara de Vereadores da Capital, a tarifa de ônibus em até R$ 1 já em 2020. Para o próximo ano, o plano prevê passe livre para todo o trabalhador formal, passe estudantil a R$1 e redução de custo ao empregador que paga vale-transporte. Todas as mudanças, segundo a proposta do governo, só seriam possíveis com a adequação de algumas normas. 

Por conta disso, o Transporte Cidadão tem projetos que alteram radicalmente o transporte público de Porto Alegre é classificado pelo Governo como uma necessidade de ação. Gestado desde maio de 2019, as medidas impactam diretamente na tarifa e visam dividir mais a conta com a população. Para isso, as propostas incluem criação de novas taxas voltadas aos motoristas e empresas de aplicativo de carros, até uma mudança no sistema da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC).

Nesta quinta, rodoviários e motoristas de aplicativos realizaram uma manifestação pela manhã contra o pacote. Depois, foram até a Câmara, onde lotaram as galerias destinadas ao público.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895