Senadores reagem a votos do STF por reeleição no Congresso: "golpe"

Senadores reagem a votos do STF por reeleição no Congresso: "golpe"

Parlamentares chamam de absurdas e "casuísmo" as teses dos ministros que abrem caminho para reeleição de Maia e Alcolumbre

R7

Senadores Álvaro Dias (Podemos-PR) e Alessandro Vieira (Cidadania-SE) são do grupo Muda Senado, um bloco independente, que quer a presidência da Casa

publicidade

Os votos dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) favoráveis à tese de reeleição dos presidentes do Senado e da Câmara causaram forte reação entre senadores da República. Gilmar Mendes, Kássio Nunes Marques, Dias Toffoli e Alxandre de Moraes já votaram no plenário virtual da manhã desta sexta-feira. O prazo para a votação vai até o dia 11.

Para Álvaro Dias (Podemos-PR), os votos inseridos até agora "contrariam o que estabelece a Constituição, a fim de permitir a reeleição". Ele também critica o voto em plenário virtual, "sistema em que não há debate nem encontro entre os ministros e os votos são por escrito".  O voto do relator Gilmar Mendes é considerado "absurdo" por Dias.

O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) vai mais longe e chama de "golpe" os votos inseridos até agora. Diz que os ministros "escolheram as sombras da madrugada para manifestar seus votos em favor do golpe contra a Constituição para permitir a reeleição de Maia e Alcolumbre. Até para os parâmetros brasileiros impressiona o casuísmo cínico dos ministros".

Os dois senadores, Álvaro Dias e Alessandro Vieira são do grupo Muda Senado, um bloco independente. No início da semana eles assinaram um manifesto contra a recondução de Alcolumbre e Maia.

Os ministros votaram a favor da tese que torna viável a reeleição dos atuais presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), embora o voto de Nunes Marques fale em reeleição apenas uma vez o que na prática impede Maia da recondução.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895