Solidariedade expulsa vereador que coordenou motim de PMs no Ceará
capa

Solidariedade expulsa vereador que coordenou motim de PMs no Ceará

Partido considera que Sargento Ailton violentou a democracia com atitude inadmissível de obrigar comerciantes a fechar suas portas

Por
R7 e Correio do Povo

Vereador disse que está sendo perseguido politicamente

publicidade

O Solidariedade anunciou nesta sexta-feira a expulsão do vereador Sargento Ailton do partido. De acordo com a sigla, “o parlamentar foi flagrado como um dos líderes do motim de policiais que causaram o confronto e baleou o senador Cid Gomes”. “Essa decisão, tomada em conjunto com o deputado federal e presidente nacional do Solidariedade, Paulinho da Força, e o presidente estadual do partido, deputado federal Genecias Noronha, vem mostrar que não compactuamos com ações que violentem e agridem a democracia”, diz a nota.

A sigla argumenta que é “inadmissível” que um membro do partido participe de ações que obriguem comerciantes a fecharem suas portas e que acabe em um senador baleado. A afirmação se refere ao fato de que vídeos expostos em redes sociais mostram agentes de segurança circulando por ruas da cidade de Sobral e avisando para os mercadores fecharem o comércio.

“Nós não trabalhamos com militância do terror que causam a depredação do patrimônio de pessoas e não podemos aceitar que policiais e agentes públicos, encapuzados e armados como milicianos, levem o terrorismo às ruas”, diz. A decisão é de caráter irrevogável. “Continuaremos trabalhando para que a paz volte a reinar no Ceará e reiteramos que não admitimos que um de nossos militantes participe desse tipo de balbúrdia que atinge diretamente a população”, finaliza.

Vereador diz que é perseguido politicamente

Por meio de uma nota publicada em suas redes sociais, o militar disse que sua "expulsão partidária nada mais é do que perseguição política, visto que infelizmente, brigar com os poderosos no Ceará será sofrer retaliações". "Em sobral um vereador do mesmo partido que eu, aplicou vários golpes de estelionato, foi preso e condenado em 1ª instância, mas por ser aliado do grupo Ferreira Gomes, não foi expulso do SD e não respondeu processo no conselho de ética da Câmara Municipal. Pelo contrário todos os pedidos de investigação protocolados na Câmara Municipal foram arquivados contra o tal vereador", escreveu.

Ele também adotou tom cínico ao dizer que o presidente estadual da sigla, deputado Genecias Noronha, não esconde sua amizade com a Família Ferreira Gomes. "Até participando de festas de aniversários na casa do Senador Licenciado Cid Ferreira Gomes, conforme publica em suas redes sociais. Ser expulso de um partido na qual o presidente Nacional é investigado por desvio de dinheiro público e o presidente Estadual e sua esposa são cassados pelo TRE/CE por abuso de poder político não me causa nenhuma vergonha, mas pelo contrário me causa felicidade. Luto por meus ideais pelo que acredito ser o correto e não por meus interesses", finalizou.