Temer considera que STF age corretamente em caso de CPI da Pandemia

Temer considera que STF age corretamente em caso de CPI da Pandemia

O ex-presidente disse ainda que o momento não é o mais propício para a investigação

Samantha Klein / Rádio Guaíba

Ex-presidente defendeu a independência entre os três poderes

publicidade

O ex-presidente Michel Temer afirmou, nesta segunda-feira, que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso agiu corretamente ao autorizar a instalação da CPI da Pandemia no Senado. A decisão do magistrado foi confirmada pelo plenário da Corte em 14 de abri. A manifestação de Temer ocorreu em entrevista ao Boa Tarde, Brasil da Rádio Guaíba nesta segunda-feira. O emedebista disse ainda que o momento não é o mais propício para a investigação.

“Primeiro, a jurisdição é inerte, só ocorre quando provocada. É o que tem acontecido no Supremo, com deputados instigando o Judiciário. Embora se fale em ativismo judicial, não me parece que isso esteja acontecendo”, disse Temer, que também é especializado em Direito Constitucional. “CPI realmente é um foro interno do Legislativo… mas há precedentes autorizando que o Supremo autorize a abertura de CPI. Estranho seria se o Supremo determinasse o impedimento dela”, sustentou. 

Recentemente, em reunião do Conselho Político e Social da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). Temer disse que Bolsonaro perdeu a oportunidade de sair como “herói” da crise da covid-19 por não ter assumido a frente do combate à pandemia. Ao mesmo tempo, o ex-presidente também ressaltou que o momento não é o mais propício para a investigação ou processo de impeachment contra Bolsonaro.

Centrão

O ex-presidente ainda destacou que atual ocupante da cadeira do Palácio da República deveria aproximar-se dos parlamentares para garantir governabilidade. “Ele também precisa se enturmar com os deputados”, disse. “Quando você ingressa no cargo, há 300, 400 cargos de confiança. Você, como presidente, não tem na cabeça todos esses nomes, e não tem nada demais que esses nomes sejam indicados pela classe política”, dando a entender que Bolsonaro deve manter o Centrão ao seu lado. 

Temer ainda afirmou que não pretende se candidar à presidência no próximo ano. "Não me passa pela cabeça", concluiu. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895