Tolentino presta depoimento à CPI e não diz se é sócio do Fib Bank

Tolentino presta depoimento à CPI e não diz se é sócio do Fib Bank

Relator disse que a comissão já tem as informações necessárias em relação ao depoente e à FIB Bank, empresa da qual Tolentino seria sócio oculto

R7

CPI realiza oitiva do advogado e empresário Marcos Tolentino da Silva

publicidade

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 ouve, nesta terça-feira (14/9), o depoimento do advogado Marcos Tolentino, amigo do líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), e apontado como sócio oculto do FIB Bank. A reunião desta manhã, segundo o relator da comissão, senador Renan Calheiros (MDB-AL), é um procedimento burocrático para a CPI, já que os depoentes não têm colaborado com as investigações conduzidas pelos senadores.

Tolentino, que tem um habeas corpus concedido pela ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Cármen Lúcia, se recusou a responder se é, de fato, sócio do FIB Bank. Ele confirmou que o escritório de advocacia do qual é dono funciona no mesmo local que a MB Guassu, uma das empresas que fazem parte do capital do FIB Bank, mas se calou quando questionado sobre quem era o dono da empresa, que apesar de ter “bank” (banco, em inglês) no nome, não é uma instituição financeira.

O FIB Bank foi garantidor do contrato no valor de R$ 1,6 bilhão entre a Precisa Medicamentos, representando a farmacêutica Bharat Biotech, com o Ministério da Saúde para a aquisição de 20 milhões de doses da vacina Covaxin. Com o avanço das investigações, o contrato foi cancelado.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895