TRE-RS recomenda que Carmen Flores devolva R$ 160 mil
capa

TRE-RS recomenda que Carmen Flores devolva R$ 160 mil

Parecer indica suposta aplicação irregular de verba eleitoral nas contas da candidata

Por
Luiz Sérgio Dibe

Empresária concorreu ao Senado no pleito de 2018

publicidade

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RS) emitiu parecer conclusivo sobre as contas eleitorais da empresária Carmem Flores, que concorreu ao Senado pelo PSL, nas últimas eleições. O documento indica suposta aplicação irregular de verba eleitoral e aponta falta de comprovação da origem de parte do dinheiro. De acordo com o parecer expedido por técnicos da Justiça Eleitoral gaúcha, Carmem deve ter suas contas desaprovadas e precisaria devolver a importância de R$ 160.720,00 ao Tesouro Nacional. 

Conforme o relatório, alguns pontos da prestação de contas da ex-candidata indicam possíveis irregularidades. Entre eles, os técnicos do TRE-RS destacam a realização de 74 depósitos "fracionados" feitos em dinheiro, na boca do caixa, em valor abaixo da cifra mínima que obrigaria que as transferências fossem feitas por via eletrônica. Esses depósitos somam mais de R$ 75 mil e teriam sido realizados em três dias consecutivos, após o término da eleição. A própria Carmen teria feito parte dos depósitos e, posteriormente, a retirada de valores para pagamentos a prestadores de serviços de campanha.

À época da gestão dos recursos eleitorais, além de candidata, Carmem Flores também era presidente do PSL no Estado. Sua candidatura arrecadou um total de R$ 449.886,00. Outros itens que estão sendo investigados se referem à suposta compra de móveis para os comitês de campanha em lojas pertencentes à família da ex-candidata e transferência de valores a familiares que teriam prestado serviços à campanha. O parecer foi expedido no dia 23 de julho.

Contatada, a empresária Carmen Flores afirmou não querer entrar em detalhes sobre a situação e disse que está providenciando todos os esclarecimentos necessários pela Justiça Eleitoral. A ex-candidata também comentou que o tema tem lhe causado transtornos, mas garantiu estar com a consciência tranquila de que poderá comprovar a licitude dos atos relacionados às eleições.