TSE concede liminar que suspende inelegibilidade de Crivella no Rio de Janeiro

TSE concede liminar que suspende inelegibilidade de Crivella no Rio de Janeiro

Ministro Mauro Campbell Marques, relator do pedido feito pela defesa de Crivella, concedeu "efeito suspensivo ao recurso ordinário"

R7

Com liminar, Crivella volta a ser considerado "ficha limpa" pelo tribunal eleitoral

publicidade

O prefeito do Rio, Marcelo Crivella (Republicanos) conseguiu uma liminar no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na segunda-feira que suspende os efeitos de sua inelegibilidade por oito anos. De acordo com a decisão, o ministro Mauro Campbell Marques, relator do pedido feito pela defesa de Crivella, concedeu "efeito suspensivo ao recurso ordinário". Segundo ele, "afigura-se prudente, no caso, deferir a tutela de urgência, que vigorará até o julgamento do mérito por este Plenário".

O julgamento do mérito do recurso pelo plenário do TSE ainda não tem data definida e o registro de candidatura de Crivella ainda será julgado na 23ª Zona Eleitoral do Rio. Na segunda-feira, a juíza da 23ª ZE, Regina Lúcia Chuquer de Castro Lima, havia intimado o prefeito por conta de irregularidades em sua documentação, apontando que Crivella era considerado inelegível devido à condenação no TRE-RJ.

Com a liminar obtida na segunda instância, Crivella volta a ser considerado "ficha limpa" e precisa apenas resolver questões burocráticas para ter seu registro deferido. Em nota, o candidato à reeleição no Rio afirmou que a "Justiça foi feita" e acrescentou que "sentiu que o TRE-RJ resolveu pegar o prefeito como exemplo". "Há dois anos eu fui a uma reunião do meu filho, com 50 pessoas, que já foi investigada pela CPI da Câmara, e fui inocentado, mas tinha me dado uma inegibilidade. Uma medida pesada, dura, duríssima, só por ir a uma reunião", disse.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895