Vereadora de Bagé denuncia colega por violência política de gênero

Vereadora de Bagé denuncia colega por violência política de gênero

Presidente do Legislativo chamou a parlamentar de histérica durante fala na tribuna

Flávia Simões*

O boletim foi registrado na Delegacia de Pronto Atendimento de Bagé

publicidade

A vereadora de Bagé Beatriz Souza (PSB) resgistrou, nesta terça-feira, um boletim de ocorrência contra o presidente da Câmara da cidade, Mário Augusto Lara (PTB), pelo crime de violência de gênero. Durante sessão plenária, nesta segunda-feira, o vereador chamou a colega de histérica e falou que ela não havia "tomado os seus remédios".

As falas ocorreram durante o pronunciamento do presidente, que usava a tribuna. Ao ser citada, Beatriz retrucou. "Se contenha, vereadora, calma, a senhora não tomou os seus remedinhos", disse o vereador. Em seguida, acrescentou que a colega estava histérica, mas que não poderia falar isso porque seria considerado "falta de respeito". As ofensas foram endossadas pelo vereador Ramão Bogado (PTB), que presidia os trabalhos, ao perguntar se Beatriz gostaria de "um chazinho de camomila" para se acalmar. 

Em função do ocorrido, a vereadora denunciou as falas do colega como violência política de gênero, enquadrada no artigo 326-B do Código Eleitoral. Segundo Beatriz, ao interromper a fala do presidente, ela havia pedido "respeito". A vereadora contou ainda que essa não foi a primeira vez que vereadores lhe desrespeitaram. "Por inexperiência eu não fiz nada (antes). Mas se eu seguir não fazendo nada, vai ter continuidade", destacou.  Além disso, Beatriz afirmou que, mais de uma vez, foi ridicularizada em função das pautas que defende, como  o bem estar animal, principal bandeira do seu mandato. Ela salientou ainda que esse tipo de situação dificulta a luta por mais inserção das mulheres na política.

Em resposta, Mário Augusto Lara afirmou que a vereadora "confunde debate político com briga de gênero na tentativa de se vitimizar", afirmando não ter sido desrespeitoso  ou agressivo com a colega em nenhum momento. "Meu trabalho é voltado para ajudar as pessoas que mais precisam, (...) enquanto isso a vereadora se preocupa em instituir projetos na Câmara que legislam sobre a "preservação de ninhos de passarinhos" e a "preservação dos coelhinhos na Páscoa", escreveu.

*Supervisão Dulci Emerim


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895