Ampliação de áreas irrigadas tem potencial para reduzir déficit de milho

Ampliação de áreas irrigadas tem potencial para reduzir déficit de milho

Lavouras com sistemas de irrigação no Estado têm produzido 200 sacas por hectare, o dobro do rendimento alcançado no sequeiro

Correio do Povo

Atualmente, Rio Grande do Sul possui 140 mil hectares da cultura irrigados

publicidade

Com produção insuficiente de milho para atender a demanda local, o Rio Grande do Sul precisa potencializar investimentos em irrigação para ampliar o volume colhido, sem a necessidade de incrementar área. Este foi o ponto defendido durante o evento técnico virtual, ocorrido nesta quarta-feira (4 de novembro) com foco no Programa Estadual de Produção e Qualidade do Milho (Pró-Milho), promovido pela Secretaria da Agricultura (Seapdr) e Emater.

Segundo a Radiografia da Agropecuária Gaúcha, lançada pela Seapdr durante a Expointer Digital, atualmente 140 mil hectares de plantação de milho contam com algum sistema de irrigação. Nesta área, a produtividade tem chegado a 200 sacas por hectare, mais do que o dobro do rendimento médio das lavouras de sequeiro, de 95,4 sacas, segundo a Emater.

O especialista em irrigação, agrônomo José Enoir Daniel, explica que, caso o Estado alcançasse 200 mil hectares da cultura irrigados, e obtivesse um incremento de 80 sacas nesta área, o volume colhido somente nas lavouras irrigadas superaria os 2 milhões de toneladas de milho, quantidade que ajudaria a reduzir o déficit do grão no Estado. “Irrigação não combate seca, mas é uma tecnologia muito importante para produzir com segurança”, enfatizou.

O diretor das Câmaras Setoriais e Temáticas da Secretaria da Agricultura (Seapdr), Paulo Lipp João, informou que o objetivo é que o Estado alcance pelo menos 240 mil hectares irrigados de milho, em médio prazo. Para isto, comentou que a Seapdr, junto a um grupo de entidades, está elaborando um novo programa estadual de irrigação que, além de prever subsídio financeiro ao produtor, buscará reduzir a burocracia quanto às licenças ambientais necessárias, um pleito do setor produtivo. Em função da estiagem, na safra 2019/2020, o Rio Grande do Sul produziu apenas 4,1 milhões de toneladas de milho em 783 mil hectares.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895