Atraso no plantio do trigo preocupa

Atraso no plantio do trigo preocupa

Previsão de chuva para os próximos dias força nova pausa na semeadura

Camila Pessoa*

Situação é mais preocupante na região Noroeste

publicidade

A volta das chuvas preocupa os triticultores gaúchos, em especial os localizados nas regiões em que o fim da janela de plantio, determinada pelo zoneamento agroclimático do Ministério da Agricultura (Mapa) se aproxima. Depois de ter interrompido a semeadura devido à umidade entre 6 e 10 de junho e retomado no dia 11. “Agora o produtor está esperando novamente. É um momento tenso em todo o Estado”, comenta o diretor técnico da Emater/RS - Ascar, Alencar Rugeri. De acordo com o boletim agrometeorológico da Secretaria da Agricultura (SEAPDR), na próxima semana vão haver “chuvas expressivas”, com possíveis temporais. 

Para o diretor técnico da Emater/RS - Ascar, Alencar Rugeri, a persistência da chuva prevista para os próximos dias é preocupante e, se houver grandes volumes, a situação pode ser ainda pior. Em especial na região Noroeste, por ser a área em que a janela de plantio termina mais cedo. A região de Santa Rosa, por exemplo ,tem 37% da área estimada e a de Frederico Westphalen tem 30%. “O ideal é que plante numa janela adequada. Agora vai apertar o prazo, que vai de maio até a metade de julho”, esclarece o diretor. 

A preocupação maior é que, com o atraso da semeadura, as fases seguintes de desenvolvimento da cultura sejam igualmente prejudicadas. “Isso atrasa todo o sistema. Se os produtores plantarem o trigo em condições inadequadas, é possível que tenham que replantar, o que aumentará ainda mais os custos”, alerta Rugeri. A chuva causa o aumento da umidade do solo, o que dificulta a ação das máquinas semeadoras. 

*Sob supervisão de Thaise Teixeira

 



Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895