Capital abre a colheita e faz festa para a uva e a ameixa

Capital abre a colheita e faz festa para a uva e a ameixa

Produção será comercializada na Festa da Uva e da Ameixa

Camila Pessoa*

Produto estará à venda no bairro Belém Velho e no Centro de Porto Alegre

publicidade

A colheita da uva de Porto Alegre foi aberta oficialmente nesta sexta-feira na propriedade de Gilmar Bettio e Valdomiro dos Santos, no bairro Belém Velho, com a participação do prefeito em exercício, Ricardo Gomes, e do secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rodrigo Lorenzoni. Neste sábado, a produção passará a ser comercializada na 30ª Festa da Uva e da Ameixa, que ocorre na Praça Nossa Senhora de Belém, também no bairro Belém Velho. A festa ocorrre nos dias 15, 16, 22 e 23 de janeiro, sempre das 9h às 20h. A novidade deste ano é que, pela primeira vez, produtores expõem e vendem uva orgânica.

A uva produzida na capital também será vendida diariamente na Praça 15 de Novembro, no Centro. A média de preços fica entre R$ 7 e R$ 10 por quilo. 
Para Valdomiro dos Santos, produtor associado ao Sindicato Rural de Porto Alegre, a qualidade da uva foi favorecida pelo clima. Ele diz que a fruta está muito boa, doce e com bastante suco. “O frio e o calor vieram na hora certa e a tendência é (a uva) ficar cada vez mais doce”, relata, admitindo que os parreirais “precisam ainda de uma chuva”. 

A estimativa de produção é de 120 toneladas, 20% a mais que no ano passado, de acordo com o chefe do Escritório Municipal da Emater, Luis Paulo Vieira Ramos. Segundo ele, o frio intenso no inverno favoreceu a cultura. Também houve muitos dias ensolarados e chuva bem distribuída na primavera. “Mas no final do ano faltou chuva e isso dificultou a produção em alguns locais”, observa. Para Ramos, a estiagem não deve afetar a produtividade, mas pode prejudicar o amadurecimento da uva.

*Sob supervisão de Elder Ogliari


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895