capa

Consumo de legumes aumentará quase 2% todo ano até 2028, diz FAO

Levantamento também prevê aumento na demanda por carne

Por
AFP

Relatório liga aumento no consumo dos produtos ao crescimento global

publicidade

O consumo de legumes, raízes e tubérculos aumentará 1,9% em ritmo anual no mundo até 2028, segundo relatório da Agência da ONU para a Alimentação e Agricultura  (FAO) e da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) publicado nesta segunda-feira. O documento também prevê que o consumo de carne em todo mundo também continuará em ascensão.

De acordo com as instituições, o crescimento do consumo de lentilhas, feijão e outras leguminosas, fontes de proteína, será o maior entre os alimentos básicos. Quanto aos cereais, espera-se que o consumo mundial cresça 1,2% ao ano na década; a de produtos animais, carne e laticínios, 1,7%; e o de açúcar e óleos vegetais, 1,8%.

O relatório também observa que "nos próximos dez anos, a demanda por produtos agrícolas dependerá, acima de tudo, das necessidades de uma população [...] mundial crescente e em melhor situação econômica". Assim, na Ásia, onde estima-se que a renda per capita terá um aumento acentuado daqui a 2028, o consumo de carne aumentará 5 quilos por habitante por ano na China, e 4 quilos no sudeste da Ásia, segundo os especialistas.

Esse aumento afetará principalmente aves e suínos, os mais consumidos na região. O consumo de carne bovina aumentará em 0,5 quilo por habitante ao ano nos próximos dez anos, com uma média de 4 quilos por habitante. No sul da Ásia, por outro lado, o crescimento da renda estará associado a um aumento na demanda por produtos lácteos, açúcar e óleo vegetal. Laticínios e leguminosas continuarão sendo as principais fontes de proteína na região. O Paquistão será o país com o maior aumento no consumo de lácteos, com um avanço esperado de 42 quilos por habitante até 2028.