Diversificação rende R$ 779 milhões a produtores de tabaco

Diversificação rende R$ 779 milhões a produtores de tabaco

Programa promovido pelo SindiTabaco obteve resultados significativos mesmo com aumento da estiagem na região

Correio do Povo

LULA HELFER/ GAZETA DO SUL/ CP

publicidade

O Programa Milho, Feijão e Pastagens, conduzido pelo Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco),   representou o incremento de R$ 779 milhões na renda dos produtores. A iniciativa -  que conta com o apoio  de entidades ligadas à agricultura e dos governos do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná -  visa fortalecer a safrinha com plantio de grãos e pastagem após a colheita do tabaco.

“Além da alta nos rendimentos, a rotação de culturas reduz a proliferação de pragas, doenças e ervas daninhas na propriedade, garantindo um solo saudável para a próxima safra. No âmbito econômico, tem ainda outras vantagens como a redução dos custos de produção dos grãos, uma vez que ocorre o aproveitamento residual dos fertilizantes e pode, também, haver redução de custo na produção de proteína com o uso do milho no trato animal”, avalia o presidente do SindiTabaco, Iro Schünke.


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895