Estado promove fórum da febre aftosa em dezembro

Estado promove fórum da febre aftosa em dezembro

Evento vai abordar as ações que ajudaram o Rio Grande do Sul a avançar no status sanitário

Correio do Povo

publicidade

As ações adotadas pelos setores público e privado para que o Rio Grande do Sul seja reconhecido internacionalmente como zona livre de febre aftosa sem vacinação – em âmbito nacional, já conta com este reconhecimento – e as perspectivas de mercado que se abrem a partir desta nova condição serão as duas pautas principais do Fórum Estadual de Vigilância contra a Febre Aftosa. O evento, no formato online, ocorre dia 3 de dezembro, com início às 14h, e pode ser acessado pelas plataformas digitais da Secretaria da Agricultura.

A primeira etapa do fórum será reservada para detalhar as medidas executadas para fortalecer o sistema de defesa sanitária no Estado. Também será abordada a importância da vigilância nas fronteiras para barrar qualquer tipo de risco de ingresso da doença. Por fim, o presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Ricardo Santin, e o secretário-adjunto de Defesa Agropecuária no Ministério da Agricultura, Marcio Rezende Evaristo Carlos, farão projeções de comércio exterior e de como os gaúchos poderão se beneficiar do novo status e da retirada da vacinação do rebanho.

Segundo o chefe da Divisão de Saúde Animal da Secretaria da Agricultura, Fernando Groff, o fórum integra o plano estratégico para a evolução do status sanitário de febre aftosa e busca atualizar todos os interessados das ações e da importância da responsabilidade compartilhada. O primeiro fórum de âmbito nacional, lembra Groff, ocorreu durante a Expointer do ano passado.

Está prevista para maio de 2021 a assembleia da Organização Internacional de Saúde Animal (OIE) que deliberará sobre o pedido do Rio Grande do Sul ser considerado área livre de febre aftosa sem vacinação. No âmbito nacional, o Estado já obteve este reconhecimento.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895