Coronavírus provoca cautela nas delegações internacionais da Expodireto
capa

Coronavírus provoca cautela nas delegações internacionais da Expodireto

Prefeitura de Não-Me-Toque também preparou plano de contingência e garante que rede de saúde está preparada para atender casos suspeitos

Por
Chico Izidro

Avisos foram fixados em banheiros e restaurantes do parque da Cotrijal


publicidade

O temor do novo coronavírus fez com que a Cotrijal e a prefeitura de Não-Me-Toque realizassem ações preventivas para receber os milhares de visitantes nos cinco dias da Expodireto, que começou ontem. No ano passado, 268 mil pessoas de 70 países participaram do evento, considerado uma das maiores feiras do agronegócio internacional.

Com o surto do Covid-19 que já atingiu 77 países, principalmente China, Coréia do Sul, Irã e Itália, as delegações internacionais que participam do evento foram reduzidas. Segundo Marco Antonio da Costa, secretário municipal de saúde de Não-Me-Toque, grupos vindos da China, Alemanha, Itália e Japão passaram por adaptações. 

No caso da China, país de origem do surto, o número de integrantes caiu de 30 para apenas seis. A delegação italiana foi reduzida pela metade, de 20 para 10. “O Ministério da Saúde ajudou muito fazendo a triagem alfandegária. Isso diminui e muito a possibilidade de a doença se fazer presente”, explicou Costa.     

A cidade também preparou um plano de contingência e a rede hospitalar receber adaptações para receber possíveis casos suspeitos. “Já temos leito de isolamento e  todos os funcionários foram treinados e estão capacitados para lidar com a situação”, garantiu. 

No parque da Cotrijal, a Secretaria de Saúde montou um ambulatório com profissionais, ambulância e medicamentos. Nos banheiros e restaurantes foram fixados avisos com orientações preventivas à doença.  

“Queremos mostrar para as pessoas que elas devem ter hábitos saudáveis sempre, como lavar as mãos com frequência e usar álcool gel. Acreditamos que a possibilidade de vírus aqui é muito pequena. Mas, se acontecer, estamos preparados.”

No domingo, um dia antes da abertura dos portões da Expodireto, os estoques de máscaras já tinham terminado na maioria das farmácias da região, o que levou algumas pessoas a buscarem pelo objeto nas unidades de saúde de Carazinho, a pouco mais de 20 quilômetros de Não-Me-Toque.

Apesar da crescente busca pelas máscaras, especialistas são enfáticos ao desaconselharem o uso por pessoas sem os sintomas da doença. O secretário de saúde reforça o pedido. “Os visitantes não precisam usar máscara no parque. Essa medida é indicada apenas para as pessoas que estão com sintomas de gripe e para quem vai tratá-las. A máscara evita a transmissão de quem tem para quem não tem a doença. Mas, quem não apresenta sintoma, não é necessária a utilização.”


O conselho parece ter surtido efeito. Até esta terça-feira as máscaras não tinham sido utilizadas pelos visitantes que passeiam pelas ruas do parque. Matheus Mella, de Passo Fundo, por exemplo, disse que se preocupa com a doença e está se precavendo, mas sem alarmismo. “Lavo sempre as mãos e quando encontro, utilizo o álcool gel”, explica