No palco da inovação, robô da IMED encanta visitantes na Expodireto Cotrijal
capa

No palco da inovação, robô da IMED encanta visitantes na Expodireto Cotrijal

Arena Agrodigital exibiu tecnologia de ponta em um ambiente atrativo para o produtor e capaz de mostrar ao jovem muitas das possibilidades que a nova vida do campo tem

Por
Henrique Massaro

Robô veio da Rússia e fez sucesso em Não-Me-Toque, interagindo com o público durante todos os dias da feira


publicidade

"Olá, moça simpática” e “você está bonito hoje” foram alguns dos elogios que mais atraíram o público de todas as idades para o estande da IMED, na Arena Agrodigital, durante a Expodireto Cotrijal, encerrada sexta-feira. As palavras de carinho, no entanto, não vinham de nenhum professor ou funcionário da instituição, mas do IMED Bô, um robô em tamanho humano trazido da Rússia para esta feira e que foi um dos símbolos do espaço de 1,6 mil metros quadrados criado para ser um grande centro de inovação dentro do evento. Com sistemas de reconhecimento facial e machine learning, o robô interagia com produtores e visitantes curiosos, mas era, principalmente, um chamariz para as tantas possibilidades que as novas tecnologias voltadas ao agronegócio permitem. Em apenas algumas perguntas, o público podia ter acesso a diversas pesquisas desenvolvidas por startups e que estavam embarcadas na máquina.

Fatores que influenciam a inovação na indústria de trigo e a detecção de folhas com ferrugem asiática na soja eram algumas das informações que foram repassadas para os visitantes que andavam pela Arena Agrodigital. “É um ativo que não perde valor”, disse a gestora do HUB de Inovação da IMED, Márcia Capellari, ao explicar as capacidades do robô de falar, interagir, agregar e aprender novos conteúdos. De acordo com ela, o dispositivo foi uma estratégia utilizada para mostrar que a interação homem-robô pode ser mais interessante do que se imagina. A Arena Agrodigital, avaliou, foi o ambiente ideal para que isso pudesse acontecer.

MAURO SCHAEFER

Outras instituições de ensino, startups e empresas tradicionais aproveitaram a arena para aproximar os produtores do que há de mais novo em precisão agropecuária. Um exemplo foi a Strider, startup de Belo Horizonte que foi adquirida pela gigante Syngenta. Durante a programação, a empresa apresentou sua tecnologia de aprimoramento do manejo de lavoura, que funciona através de georreferenciamento e fornece mapas de calor para que produtores possam tomar decisões sobre o controle de pragas. Outro exemplo foi a plataforma Climate FieldView, voltada para coleta e processamento automático de dados, geração de mapas e relatórios em tempo real. Uma variedade de outras inovações podia ser conferida a alguns passos de distância.

Com uma grande estrutura circular, a Arena reuniu, ao todo, 22 empresas e startups, lado a lado. No centro dela, um grande palco se dividia em quatro. Nele, ocorreram palestras, muitas de forma simultânea, gerando o som somente para a plateia que estava em frente de cada palestrante. Houve ainda quatro palestras magnas, que ocuparam todo o palco e ganharam a atenção do público.

Além de simplesmente aproximar os produtores das novidades em soluções agropecuárias, a inovação em si tem a importante função de garantir a inserção das novas gerações no meio rural e garantir a tão falada sucessão. O presidente da John Deere no Brasil, Paulo Herrmann, que conduziu uma das palestras magnas do evento, afirmou que “só a tecnologia atrai”.

Na visão de Herrmann, que falou sobre “Agricultura 4.0”, a arena foi o grande diferencial da feira. Além dos jovens, ele entende que a inovação possibilita que mais mulheres ingressem num ambiente tradicionalmente ocupado pelos homens. Para Herrmann, as áreas que ainda exigem um conhecimento mais empírico podem continuar fazendo mais sentido para homens que já vêm realizando essas atividades, mas as produtoras podem buscar novos horizontes, como a criação de programas de cargos de salários, remuneração variável, mapeamento de risco da propriedade e monetização de serviços ambientais. “Tem um universo de coisas que não é só plantar e colher”, observou. “Já os meninos e meninas, trazemos por meio da tecnologia.”


Idealizada em menos de cinco meses, a Arena Agrodigital foi considerada um sucesso dentro da Expodireto. O superintendente administrativo-financeiro da Cotrijal, Marcelo Schwalbert, disse que o objetivo de atrair o público jovem para o evento foi alcançado.