Crianças são o principal público no pavilhão de pequenos animais

Crianças são o principal público no pavilhão de pequenos animais

Mini coelhos são os animais mais procurados

Eduardo Andrejew

Movimento no Pavilhão dos Pequenos Animais na 44ª Expointer

publicidade

Um dos pavilhões mais procurados na Expointer 2021 é o de pequenos animais. E a principal atração são os coelhos. O expositor Vitor Costa, proprietário da Cabanha de São Nunca, de Araricá, avalia que o movimento e as vendas estão muito boas. E as crianças são o público principal. “Vendi uma média de 40 filhotes por dia”, disse. Animais pet, os filhotes de mini-coelhos, representam 80% das vendas de Costa. Para o final de semana, ele espera um público ainda maior e acredita que não dará conta da demanda. Perto dali, o movimento de venda para os chinchilas estava abaixo das expectativas do expositor Rogério Oliveira, da Chilacenter, de Viamão. “As vendas estão devagar, não está como nos outros anos”, compara. Ele lembra que em outros anos vendia em média 10 animais por dia. Atualmente, está comercializando de dois a três chinchilas. Apesar de tudo, também tem boas expectativas para este final de semana.

No caso das aves, o volume de vendas variava. O criador de pássaros Marcelo Rocha Petineli, de São Gerônimo, é dono do Canaril Petineli. Ele informa que as aves mais procuradas são as calopsitas. Mas tiveram boa saída, os periquitos e os mandarins. No caso dos canários, as vendas estavam mais modestas. “Tem venda, mas não como nos outros anos”, explicou o Eder Chaparro, do Canaril Chaparro, de Nova Santa Rita. Ele é proprietário do grande campeão da raça Gloster Corona, e da grande campeã da raça Gloster Consorte. Ele espera por mais movimento no final de semana também. O criador Mario Vargas, de Santa Vitória do Palmar, por sua vez, é proprietário do galo grande campeão da raça New Hampshire e da fêmea grande campeã da raça Plymouth Rock Branco. Mesmo assim, esperava pelo final de semana para melhorar as vendas. “A gente entende que é um momento de retomada”, explica.

Mesmo assim, não faltavam admiradores para observar as aves. Ari Alves de Lima, de Gravataí, aos 80 anos se considerava um apaixonado por galinhas, pois foi criador ao longo de sua vida. “Aquela ali vai botar ovo”, anunciava indicando uma fêmea da raça New Hampshire. Ão muito longe dali, a pequena Eloá, de 4 anos, estava encantada com uma representante da raça Cornish Mini Dark. “Me apaixonei por essa aqui, ela botou um ovo”, explicou. Ela veio com sua irmã Ágata, de 1 ano, e seus pais, Cidinei e Marilene dos Santos, de Pareci Novo. “Mas elas gostaram mesmo foi dos coelhos”, revelou Cidinei. O encantamento com os coelhos também levou Gianna Ferraz e seu marido, Vânio Freitas, a procurar um filhote para as filhas Joana, de 12 anos, e Antônia, de 6. “Viemos para olhar o geral da feira, mas as gurias já vieram para cá querendo pegar um coelhinho”, conta.


publicidade


publicidade


publicidade


publicidade



publicidade


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895