Expointer abrirá espaço para discussão de reivindicações do campo
capa

Expointer abrirá espaço para discussão de reivindicações do campo

Pautas polêmicas, como armamento e a exportação do gado em pé, entrarão na agenda

Por
Cíntia Marchi

Expointer abre espaço para discussão de reivindicações do campo

publicidade

A 41ª Expointer, que estará na rota dos candidatos às Eleições de outubro, será aproveitada pelas lideranças do agronegócio gaúcho para defenderem suas reivindicações e relatarem as dificuldades do setor junto aos postulantes a cargos públicos, olho no olho. Crédito e seguro rural, infraestrutura para escoamento da produção, reforma tributária e segurança no campo são algumas das bandeiras que ganharão destaque. Pautas polêmicas, como o armamento no campo e a exportação do gado em pé, também entrarão na agenda.

O presidente da Farsul, Gedeão Pereira, disse que, além das reformas previdenciária, partidária e tributária, a federação cobrará dos candidatos mudanças nas regras de estabilidade do funcionalismo público. Para ele, o inchaço das prefeituras e das repartições estaduais e federais faz com que os governos não consigam aplicar o orçamento nas áreas prioritárias como saúde, educação e segurança. “Hoje trabalhamos para sustentar o Estado, que não nos devolve nada porque tem que pagar os salários de muitos servidores que sequer trabalham”, critica. A Farsul pedirá mais segurança jurídica no campo e também defenderá o armamento do produtor rural.

• Bancos esperam crescimento do volume de financiamentos durante a Expointer

O presidente da Federação Brasileira das Associações de Criadores de Animais de Raça (Febrac), Leonardo Lamachia, disse que a entidade usará a Expointer mais para expor os contratempos que atrapalham o setor do que para ouvir os candidatos. “Queremos que eles se comprometam a observar e atender as nossas demandas”. Uma das bandeiras da Febrac é a manutenção das exportações de gado vivo, que tem representado importante alternativa de renda aos pecuaristas.

Já o presidente da Federação das Co-operativas Agropecuárias do Estado (Fecoagro), Paulo Pires, diz que a entidade pleiteará aumento no subsídio do seguro rural, especialmente para as culturas do milho, trigo e arroz que apresentam risco elevado. Outra bandeira da Fecoagro é a da melhoria da infraestrutura.

• Expointer terá espaço dedicado aos avanços e soluções tecnológicas para área do campo

A Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetag) pedirá mais recursos para as áreas da saúde, educação e assistência técnica. “O Censo Agropecuário mostrou que 50% dos produtores não têm acesso a nenhuma assistência técnica nem paga, nem pública”, lamentou o presidente da Fetag, Carlos Joel da Silva.

Movimento Restritos

Por conta da proximidade com a votação do primeiro turno e pela característica da Expointer, que historicamente é visitada por candidatos aos mais variados cargos, surge a dúvida: quais são as restrições? O advogado Décio Itiberê, especialista em Direito Eleitoral, diz que não é permitido fazer propaganda política em espaços como parques, ginásios e estádios, por exemplo. “Nada impede que algumas pessoas entrem com bandeiras, o que é uma manifestação individual, mas a distribuição de propaganda não é permitida”, explica. Segundo Itiberê, os candidatos podem ir à feira, mas não podem discursar em eventos que fazem parte da programação, como palestras ou seminários.

Itiberê ressalta que no entorno do parque a distribuição de panfleto é permitida. Irregularidades podem ser comunicadas pelo site.