Painel na Expointer debate povos tradicionais e a pandemia da Covid-19

Painel na Expointer debate povos tradicionais e a pandemia da Covid-19

Evento promovido pela Emater/RS-Ascar tratou dos reflexos do coronavírus em comunidades rurais

Vítor Figueiró

Painel marcou lançamento de curso sobre o tema

publicidade

A pandemia da Covid-19 e seu impacto em povos tradicionais e assentamentos rurais foi tema de debate na 44ª Expointer. Evento online nesta quarta-feira marcou o lançamento de um curso de Formação Continuada em Políticas Públicas, em parceria entre a Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), através do Departamento de Desenvolvimento Agrário, Pesqueiro, Aquícola, Indígenas e Quilombolas (DDAPA), a Universidade Estadual do RS (Uergs) e a Emater/RS-Ascar.

Responsável pela abertura da atividade, o diretor técnico da Emater/RS, Alencar Rugeri, destacou que o assessoramento aos povos tradicionais no Estado "é uma das ações fundamentais da existência da Extensão Rural e é muito importante discutir esse tema, nessa parceria". 

Membro da Seadpr, Luiz Fernando Fleck, detalhou como vão funcionar as aulas do curso e a estrutura de capacitação de 42 horas. "As comunidades têm um conjunto de vulnerabilidades, carências e necessidades, mas também muito a nos ensinar de suas vivências. Se somar esses povos e assentados, temos o privilégio de ter 36 mil famílias no meio rural do RS", afirmou Fleck.

O evento também contou com a participação da professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Catia Grisa, que apresentou o panorama atual desses povos tradicionais no Brasil e sua capacidade de manter a diversidade alimentar com manejos sustentáveis. "Os alimentos de comunidades indígenas e demais comunidades tradicionais não apenas melhoram a nutrição e a saúde de forma sustentável, mas também auxiliam na preservação do patrimônio biocultura e da biodiversidade", sustentou. 

Veja Também


publicidade


publicidade


publicidade


publicidade



publicidade


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895