Ministra da Agricultura visita Santo Ângelo, nas Missões, para avaliar prejuízos da estiagem

Ministra da Agricultura visita Santo Ângelo, nas Missões, para avaliar prejuízos da estiagem

Tereza Cristina foi pela manhã ao distrito de Buriti, em empreendimento que registra 100% de perdas no plantio do milho

Nereida Vergara

Depois de visitar a propriedade, a ministra, acompanhada da secretária da Agricultura, Silvana Covatti, deputados e senadores, vai para a sede da URI para reunião com as lideranças.

publicidade

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, desembarcou no Aeroporto Regional de Santo Ângelo antes das 9h desta quarta-feira. Tereza Cristina chega ao Estado acompanhada de equipe do governo federal para avaliar os efeitos da estiagem sobre a agropecuária do Rio Grande do do Sul, com perdas acima de 60% já estimadas para o milho e cerca de 25% para a soja. Logo depois do desembarque, a ministra seguiu para o distrito de Buriti, em torno de 18 quilômetros distante do centro do município, onde visita a propriedade da Família Segatto. O empreendimento, de 50 hectares, deve ter prejuízo em quase totalidade dos 10 hectares plantados com milho, segundo informou o proprietário Dirceu Segatto à Rádio Sepé Tiaraju, de Santo Ângelo.

Depois da visita,  Tereza Cristina vai se reunir com as lideranças gaúchas ligadas ao meio rural na Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI), onde receberá a pauta de reivindicações elaborada pelas entidades em conjunto com a Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) e a Famurs. Entre as demandas que a ministra receberá estão crédito emergencial ao produtor, flexibilização de garantias aos produtores de leite, aquisição de alimentos da agricultura familiar via Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), prorrogação das parcelas do Pronaf por 10 anos e descontos para a liquidação de dívidas ativas com a União, além da renovação do pedido de prorrogação do Zoneamento Agrícola de Risco Climático (ZARC) para complementar o plantio da soja no Estado.



Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895