Sindicalc muda sede para Caçapava do Sul

Sindicalc muda sede para Caçapava do Sul

Decisão foi tomada porque nove das 10 indústrias de calcário se localizam no município

Correio do Povo

Como os solos brasileiros geralmente são muitos ácidos, é recomendado a execução da calagem

publicidade

Após 41 anos de atuação em Porto Alegre, o Sindicato da Indústria de Calcário no Rio Grande do Sul (Sindicalc) transferiu sua sede para Caçapava do Sul. Desde 28 de julho, a gestão das atividades já ocorre no interior. A decisão considerou o fato de que das dez indústrias de calcário no Estado, nove estão em Caçapava do Sul. “Nós não tínhamos referência em Porto Alegre e fizemos a mudança”, explica o presidente da entidade, Carlos Cavalheiro.

A nova estrutura favorece o acompanhamento da capacidade do parque gaúcho de calcário e reforça a necessidade de ampliar o uso do produto no Estado, hoje reduzido às lavouras comerciais, principalmente de soja. O diretor-executivo do Sindicalc, Roberto Zamberlan, reitera que a produção atual do Rio Grande do Sul é de 3,4 milhões de toneladas de calcário, mas que a necessidade é de 6 milhões de toneladas diante da extensão das terras agricultáveis no Estado. “Nossas indústrias têm condições de produzir o total, mas se limitam a fabricar menos porque não há uso”, esclarece Zamberlan.

Em janeiro deste ano, o Sindicalc protocolou o Programa de Correção da Acidez do Solo no Rio Grande do Sul, junto à Secretaria de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), para incentivar a aplicação de calcário entre os pequenos produtores de 200 municípios com menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Estado. A ideia é chegar ao pequeno produtor e proporcionar que ele tenha mais renda. Cavalheiro disse que o Sindicalc será um dos apoiadores do programa, que ainda está em fase de desenvolvimento, e já busca linhas de financiamento junto ao Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Banrisul).



Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895