A escassez da Coronavac e o comprometimento na imunização contra a Covid-19

A escassez da Coronavac e o comprometimento na imunização contra a Covid-19

Mais do que atrasar o calendário de vacinações, a falta das doses traz incertezas sobre a eficácia para quem já recebeu a primeira aplicação

Correio do Povo

Calendário vacinal é composto por duas doses

publicidade

A falta temporária de vacinas da Coronavac, que responde por 90% das vacinas que vêm sendo aplicadas no Brasil, pode comprometer a imunização no Rio Grande do Sul e em diversos outros estados brasileiros. A escassez é efeito de uma reação em cadeia que inicia no atraso da entrega de insumos da China ao Instituto Butantan. Mais do que atrasar o calendário de vacinações contra a Covid-19, a falta das doses traz incertezas sobre a eficácia para quem já recebeu a primeira aplicação.

O Direto ao Ponto desta terça-feira explica os motivos e os efeitos que o atraso na vacinação pode provocar e, ainda, as previsões para o abastecimentos de estoques da Coronavac. Para isso, recebe o infectologista e professor na Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, Alessandro Pasqualotto.

Veja Também

Ouça:


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895