A importância da aplicação da segunda dose dos imunizantes contra a Covid-19

A importância da aplicação da segunda dose dos imunizantes contra a Covid-19

Atrasos na vacinação pode dificultar o combate da pandemia no Brasil

Correio do Povo

No Rio Grande do Sul, 123.514 pessoas tomaram a primeira dose dos imunizantes da CoronaVac e Oxford/AstraZeneca.

publicidade

O Ministério da Saúde alertou que 1,5 milhão de brasileiros deixaram de receber a segunda dose de um dos imunizantes contra a Covid-19. Essa parcela da população tomou a primeira injeção da CoronaVac ou da AstraZeneca/Oxford, mas não completou o esquema vacinal. Por isso não há proteção suficiente contra a doença, o que pode dificultar o combate da pandemia. De acordo com as autoridades, São Paulo é o estado com o pior índice, com mais de 343 mil atrasados. Na sequência, aparecem Bahia e Rio de Janeiro.

A questão é importante, no entanto, não apenas para a sua saúde pessoal, mas também para a saúde do país e a retomada econômica. E para falar sobre o assunto, o Direto ao Ponto recebe Fernando Ritter, Diretor da Vigilância de Saúde de Porto Alegre.

Ouça:


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895