Como funciona o Ensino Remoto Emergencial criado pela Ufrgs

Como funciona o Ensino Remoto Emergencial criado pela Ufrgs

Correio do Povo

UFRGS anuncia suspensão de atividades extracurriculares para prevenir novo coronavírus

publicidade

Passados mais de cinco meses da suspensão do calendário acadêmico presencial por conta da pandemia, a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) retorna às aulas nesta quarta-feira. A volta ao semestre letivo ocorre agora no modelo de Ensino Remoto Emergencial, uma metodologia criada pela própria instituição. 

Para driblar as barreiras da falta de acesso à internet e aparelhos eletrônicos, a Ufrgs criou auxílios financeiros e um programa de distribuição de aparelhos e computadores usados aos estudantes em vulnerabilidade socioeconômica. Para o Centro Diretório de Estudantes (SCE), no entanto, as medidas resolvem apenas uma parte das demandas existentes. Contrário ao modelo de retorno às aulas proposto pela Instituição, o DCE também cobrou uma comissão paritária de fiscalização para o Ensino Remoto Emergencial. 

O Direto ao Ponto desta quarta-feira conversou sobre a metodologia e os desafios do retorno às aulas com a vice-reitora da Ufrgs, Jane Tutikian, e com a coordenadora geral do DCE da Ufrgs, Ana Paula Santos.

Ouça:

 

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895