Como o uso excessivo de telas no pós-pandemia pode ser prejudicial para adultos e crianças

Como o uso excessivo de telas no pós-pandemia pode ser prejudicial para adultos e crianças

Direto ao Ponto conversou com Marcelo Neves, pedagogo e professor da Fadergs para entender esse processo

Correio do Povo

Com o fim da quarentena, pais e filhos não conseguem deixar de lado as telas de celulares e tablets

publicidade

Dados divulgados recentemente pela pesquisa Vigitel Brasil, do Ministério da Saúde, apontam que 66% da população adulta do país passa, ao menos, três horas do tempo livre por dia em frente a computadores, celulares ou tablets. Entre os jovens, esse número é ainda maior, chegando a 86%. Com o período pós-pandemia, o uso se intensificou, prejudicando principalmente a relação entre adultos e crianças, pais e filhos. O Direto ao Ponto conversou com Marcelo Neves, pedagogo e professor da Fadergs para entender como isso pode ser prejudicial à saúde e às relações. 

Ouça:


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895