O cenário da produção de arroz no RS em meio à alta dos preços de alimentos

O cenário da produção de arroz no RS em meio à alta dos preços de alimentos

Por
Correio do Povo

Colheita de arroz será menor em 2019


publicidade

Comprar arroz tornou-se uma tarefa bem mais cara nos últimos dias. A alta nos preços de diversos ítens da cesta básica brasileira é justificada por uma série de fatores: quebra de safra, período de entessafra, dólar alto, demanda interna entre outros. A última pesquisa do Diesee, de agosto, já havia adiantado o aumento do valor da cesta básica em 13 das 17 capitais do país – incluindo Porto Alegre, após redução de três meses. 

Em solo gaúcho, a alta dos preços de alimentos ocorre em um cenário particular com a redução da área de cultivo no ciclo 2019/2020. Para se ter uma ideia: um estudo da Federação de Agricultura do Estado mostrou aumento de 150%, nos últimos 10 anos, no custo de produção de arroz, milho e soja. Por conta disso, muita gente se perguntou: vai faltar comida?

Para discutir a situação da rizicultura e alta nos preços de alimentos, o Direto ao Ponto desta quinta-feira conversou com presidente da Associação Gaúcha de Supermercados, Antônio Cesa Longo.

Ouça: 

 
Ouça este e outros episódios dos podcasts do Correio do Povo pelos principais serviços de reprodução de áudio. Basta fazer a procura por “Correio do Povo” ou pelo nome do programa. Se preferir, clique nas imagens abaixo: