Três anos da Lei de Importunação Sexual: avanços e desafios

Três anos da Lei de Importunação Sexual: avanços e desafios

Desde 2019, RS soma mais de 2,8 mil ocorrências de atos libidinosos; Delegada afirma que subnotificações giram em torno de 80%

Correio do Povo

Desde 2019, RS soma mais de 2,8 mil ocorrências de atos libidinosos; Delegada afirma que subnotificações giram em torno de 80%

publicidade

Em três anos de aplicação, a Lei da Importunação Sexual deu nome para diversas violências sexuais antes enquadradas como contravenções e, muitas vezes, sem penalidade ao agressor. No Rio Grande do Sul, foram 2.864 denúncias desde o início dos registros. Contudo, estes números mostram apenas a ponta do iceberg, visto que as notificações giram em torno de 80%. Ou seja, mesmo com os avanços, desafios estruturais e sociais ainda se apresentam entre a legislação, a vítima e a delegacia. 

O Direto ao Ponto desta segunda-feira fala sobre os avanços e desafios da Lei da Importunação Sexual. Para isso, conta com a participação da delegada de polícia Samieh Saleh e da pesquisadora em gênero e criminologia, Paula Franciele da Silva

Ouça:


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895