Turismo espacial: entre disputa de bilionários e o avanço científico

Turismo espacial: entre disputa de bilionários e o avanço científico

Direto ao Ponto conversou com o professor do curso de Engenharia Aeroespacial da Universidade Federal de Santa Maria, Marcelo Zanetti

Correio do Povo

A viagem foi, disse ele, a "experiência de uma vida

publicidade

Para a maioria das pessoas, chegar às estrelas nada mais é do que um sonho. A dificuldade e o custo de qualquer uma das opções significam que, tradicionalmente, apenas os estados-nação foram capazes de explorar o espaço. Isso começou a mudar na década de 1990, quando uma série de empreendedores entrou na arena espacial. Em 28 de abril de 2001, Dennis Tito atingiu esse objetivo para toda a vida - mas ele não era um astronauta típico. Tito, um rico empresário, pagou US $ 20 milhões por um assento em uma espaçonave russa Soyuz para ser o primeiro turista a visitar a Estação Espacial Internacional.

A NASA há muito hesita em receber turistas espaciais, então a Rússia - em busca de fontes de dinheiro no pós-Guerra Fria nas décadas de 1990 e 2000 - tem sido a única opção disponível para quem procura esse tipo de aventura extrema. No entanto, parece que o surgimento de empresas espaciais privadas tornará mais fácil para as pessoas comuns vivenciarem o espaço. Três empresas lideradas por CEOs bilionários surgiram como os principais jogadores: Virgin Galactic, Blue Origin e SpaceX.

No último dia 11, o bilionário Sir Richard Branson alcançou com sucesso a borda do espaço a bordo de seu foguete da Virgin Galactic. O empresário britânico voou bem acima do Novo México, nos Estados Unidos, no veículo que sua empresa vem desenvolvendo há 17 anos. A viagem foi, disse ele, a "experiência de uma vida". Isso lançou o que foi chamado de torusim espacial. Mas nesta terça, foi a vez de Jeff Bezos ir para o espaço. Ele embarcou no primeiro voo com seres humanos a bordo da Blue Origin, sua empresa de exploração espacial. Em apenas 10 minutos, a viagem foi concretizada com sucesso.

O que essas ambições representam e quais são os seus impactos para a sociedade? O que elas nos falam sobre o espaço? É sobre isso que falamos no direto ao Ponto desta quarta-feira. Para isso, Direto ao Ponto conversou com o professor do curso de Engenharia Aeroespacial da Universidade Federal de Santa Maria, Marcelo Zanetti.

 

Ouça

 


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895